.

.

28 de dez de 2007

[DIVULGAÇÃO] Griff - Art Wear : "Você veste Arte"

A "GRIFF - ART WEAR" traz roupas personalizadas feitas artesanalmente.
Com pincel e tinta para tecido são passadas idéias originais para que as roupas não sejam simplesmente para cobrir o corpo, mas sirvam para representar a personalidade das pessoas que vestem, e ainda servem como forma de ampliar a cultura e as artes plásticas.

Como exemplo:


Para conferir outras obras e saber como adquirir sua obra da Griff - Art Wear:

www.griffartwear.blogspot.com

23 de dez de 2007

20 de dez de 2007

[DIVULGAÇÃO] 11ª Mostra de Cinema de Tiradentes - Inscrição para as oficinas


OFICINAS
Estão abertas as inscrições de oficinas para a
11ª Mostra de Cinema de Tiradentes
Período de inscrição:
15 de dezembro de 2007 a 07 de janeiro de 2008
(até 20:00 h - horário de brasília)
PROGRAMAÇÃO GRATUITA
Informações: 31. 3282 2366
Realização: Universo Produção

16 de dez de 2007

[NEWS] Adolescente de 15 anos é morto por policiais em SP

Cidade de Bauru


Seis policiais militares que, na madrugada de sábado, invadiram a casa de Carlos Rodrigues Júnior, de 15 anos, no bairro Mary Dota, em Bauru (SP), foram presos em flagrante por homicídio e encaminhados ao presídio militar Romão Gomes, na cidade de São Paulo. Os fatos ocorreram por volta das 3h30, quando três viaturas chegaram à casa do garoto, suspeito de ter furtado uma moto Honda NSX Bros.

Segundo a versão dos policiais, a casa foi aberta pela mãe do rapaz, Elenice Silveira Rodrigues, de 56 anos. Mas sua filha Deise, de 22 anos, disse que os policiais arrombaram o portão e uma janela e, quando sua mãe abriu a porta, invadiram a casa, dirigindo-se ao quarto onde se encontrava o garoto, que foi algemado e agredido, enquanto era chamado de "vagabundo".

Segundo Deise, ela e a mãe tentaram interferir, mas foram mandadas ficar caladas até que, meia hora depois, os policiais saíram do local levando Carlos desacordado e informando que o encaminhariam ao pronto-socorro, onde o jovem morreu logo após dar entrada.

O tenente Roger Marcel Vitiver Soares de Souza, de 31 anos, que participava da ocorrência, relatou no inquérito que deixou dois soldados tomando conta do rapaz em seu quarto. Ele disse que foi acompanhar a vistoria no resto da casa e comunicar-se com o controle da PM para requisitar a presença de um perito para identificar um tijolo de maconha de 350 gramas, que teria sido encontrado no guarda-roupa, e pedir que um guincho removesse a motocicleta furtada, que estaria no quintal da casa, quando foi avisado que havia problema no local.
Lá chegando, encontrou o menor caído ao chão e molhado, e os soldados disseram que ele havia tido um mau-súbito, mas não sabiam explicar o ocorrido.

Ao mesmo tempo em que providenciou a remoção do jovem ao pronto-socorro, o oficial deu voz de prisão aos dois policiais e os encaminhou sob escolta ao 4º BPM/I, onde foi aberto o inquérito policial militar. Mais tarde, o comando decidiu prender todos os participantes da ocorrência.

Além do tenente, foram recolhidos o cabo Gerson Gonzaga da Silva, de 42 anos, e os soldados Emerson Ferreira, 35, Ricardo Ottaviani, 34, Maurício Augusto Delasta, 33, e Juliano Arcângelo Bonini, 34.
Gonzaga foi surpreendido quando guardava na viatura um fio com pontas desencapadas, supostamente usado para torturar a vítima.

Carlos Rodrigues Júnior foi sepultado ainda no sábado, às 21h30. O médico Ivan Segura, chefe da unidade regional do Instituto Médico Legal, disse que o corpo apresentava marcas de queimaduras provocadas por choque elétrico e hematomas resultantes de espancamento. O laudo oficial será divulgado nesta segunda-feira.



Fonte: Uol.com.br
Texto: Jair Aceituno
Fotos: Google images

6 de dez de 2007

[NEWS] A guerra secreta dos Estados unidos na Somália



Desde a derrubada do governo somali do Conselho Supremo das Cortes Islâmicas em janeiro deste ano, as batalhas e a resistência do movimento islâmico contra o governo-fantoche colocado no poder pelos Estados Unidos continuam nas ruas de Mogadíscio, a capital da Somália. A estratégia estadunidense de expandir a sua área de influência e poder na região do chifre da África (nordeste do continente), através da mesma estratégia de levar a “democracia e liberdade” pela qual o mundo ocidental reconhece a criminosa ocupação no Afeganistão e no Iraque, seqüestrou as vidas de milhares de
civis inocentes também na Somália.


De acordo com a ONU, através de seu enviado especial à Somália,
Ahmedou Ould-Abdallah, da Mauritânia, “a situação humanitária na
Somália é a pior da África”. Diariamente, refugiados lutam para
atravessar o Golfo de Aden para o Iêmen. Cerca de 10 mil fugiram
do país entre janeiro e agosto de 2007, mas muitos outros
simplesmente desapareceram. Em setembro, a ONU relatou que
embarcações com corpos de dezenas de refugiados foram

conduzidas pelas forças de ocupação etíopes até o golfo, onde os
corpos foram abandonados mar adentro.


Fonte: Jornal Oriente Médio Vivo

Textos:
Humam al-Hamzad,
Zaid Muhammad,
Yusef al-Majid

Fotos:
Google imagens



Se interessou?
Confira a continuação desta matéria
e mais...

- Por que Annapolis é um Teatro - por que a conferência de paz não é legítima?
- Resistência Iraquiana – eventos da semana

http://orientemediovivo.com.br/pdfs/edicao_85.pdf

5 de dez de 2007

[AÇÃO] Colônia Cecília - Uma experiência anarquista no Brasil (PARTE 3)


Servindo-se do semanário Lo Sperimentale, de Bréscia, Rossi incitou intelectuais, obreiros e lavradores, à viagem experimental. Não descansava, propagando o anarquismo. Freqüentando sedes de corporações operárias, aconselhando lavradores pressionados pelos desajustes econômicos da Itália, animando os temerosos, foi engrossando o número de interessados.


Pequenos artesãos e intelectuais aderiram facilmente à idéia, alguns e outros desiludidos com as lutas cansativas pela unidade política italiana. Foram sensíveis, desta forma, aos acenos de uma terra nova, com múltiplas possibilidades de uma vida nova. Trezentos alqueires de terras - mais do que poderiam obter em qualquer região da Itália - pareciam mais do que suficientes para que aquelas famílias pudessem buscar a aplicação prática de seus ideais.

Em 20 de fevereiro de 1890 zarparam em Gênova cerca de 150 anarquistas italianos. Chegando ao planalto dos campos gerais, instalaram-se no que seria o núcleo Cecília em abril de 1890.



Outras Partes do texto:

PARTE 1
PARTE 2



2 de dez de 2007

26 de nov de 2007

[INFO] Jornal oriente Médio Vivo

A proposta do jornal é apresentar-se como uma alternativa à mídia quanto aos fatos noticiados sobre os conflitos no Oriente Médio. A forma com a qual os eventos locais são expostos é passível de manipulação quanto às nações da região. Por dominarem os meios de comunicação predominantes no Ocidente, os governos e a mídia dos países da coalizão disseminam sua ideologia através de uma propaganda etnocêntrica, visando massificar um ideal reacionário, conforme observamos na política econômica e militar de líderes e grupos ocidentais dominantes.
Oriente Médio vivo apresenta fatos omitidos nas notícias exibidas para o Ocidente.


"Somos cientes de que é restrito o acesso a informações advindas de outros meios de comunicação, apresentando uma linha de pensamento sob o risco da manipulação de resenhas sobre os fatos."
[Humam al-Hamzah]
Confira a Edição de n°8O do Jornal:
Nesta nova edição, as manchetes são:
- Quem luta no Iraque?
- Nova omissão de fatos de Israel e Estados Unidos
- Resistência Iraquiana - eventos da semana
Para ver o Site do Jornal e conferir outras edições:

22 de nov de 2007

[AÇÃO] Colônia Cecília - Uma experiência anarquista no Brasil (PARTE 2)

iversos documentos e referências de época comprovam o descontentamento de D. Pedro II com os resultados efetivos da política imigracionista brasileira em geral, e particularmente na província do Paraná. Visconde de Taunay, a respeito da tentativa frustrada de colonização russo-alemã afirma: A primeira entrada foi de mil trezentas e sessenta e seis pessoas, em 31 de dezembro de 1878, começando desde aí os abusos. Uma fazenda ajustada por três réis a braça quadrada, foi posteriormente paga a seis réi s. Amontoados na vila da Palmeira, sem possibilidade de se mexerem dali, pois lhes eram negados os meios de locomoção, levantaram-se afinal e exigiram repatriação, porquanto as terras que lhes impunham eram imprestáveis e más, conforme haviam verificado com instrumento de sondagem e reagentes químicos. (...) Houve necessidade de sustentar à custa do tesouro público milhares de bocas inutilmente por dois meses inteiros e fretaram-se afinal vapores para levar toda essa gente para Hamburgo.

Visconde de Taunay

O desgaste internacional provocado por tal episódio pode ter sido a causa principal para que o Imperador, preocupado em demonstrar que o Brasil oferecia condições vantajosas aos imigrantes, em relação à Argentina e aos Estados Unidos, tenha concedido terras a elementos considerados "nocivos" à ordem política dominante na Itália. Seria correto afirmar que tal medida constituiria considerável ganho diplomático e poderia, ao mesmo tempo, provar que nosso país era realmente capaz de efetuar política imigratória idônea. No entanto, tais interpretações carecem de um estudo mais aprofundado.

Outras partes do texto:

PARTE 1

17 de nov de 2007

[MÚSICA] Canapa nel Cervello

Confiram o som eletrônico do Canapa nel Cervello

http://www.myspace.com/canapanelcervello


15 de nov de 2007

[AÇÃO] Colonia Cecília - Uma experiência anarquista no Brasil (PARTE 1)


Em finais do século XIX Milão despontava, no panorama artístico europeu, pela grandiosidade de seu teatro, por sua vivência cultural e pelo requintado gosto de seu povo. Neste contexto, Giovani Rossi expunha idéias arrojadas a ouvintes atentos. Em conferências e artigos semanais no jornal Lo Sperimentale, de Bréscia, notabilizava-se por seu humanismo e alta compreensão dos problemas sociais dos artesãos, professores e lavradores da região onde vivia. Filósofo anarquista, pronunciava palestras a ouvidos atentos.
D. Pedro II, graças à sua doença, é aconselhado pelos médicos a se tratar na Europa, e depois de várias escalas chega a Milão, em 29 de abril de 1888. Por intermédio do conde de Mota Maia, o Imperador tem conhecimento da obra Il Commune in Riva al Mare, de Rossi, e mostra-se interessado pelo conteúdo humano de seus escritos - que descreviam uma hipotética experiência anarquista em país americano, onde individualismo livre só cederia ao coletivismo se estivesse totalmente impregnado de egoísmo, onde o ideal de liberdade suporia amor livre, inexistência da propriedade privada, ausência de qualquer dogmatismo. Já em agosto, após o regresso ao Brasil, D. Pedro II escreve ao jovem professor, oferecendo-lhe oportunidade de efetivar, na região Sul brasileira, na Província do Paraná, a objetivação de seu ideal.

Quais seriam as causas de medida tão inesperada?

11 de nov de 2007

[NEWS] Tropa de elite


Tropa da elite é assassina de pobres, manada de bestas feras e
bando de imbecis covardes que a imprensa fascista estuma e protege.

Abaixo o
fascismo



"Vai homem de preto,
cumprir sua missão:
Assassinar criança pobre,
com tiro no coração!"

A criança pobre Jorge Cauã Lacerda, de apenas 4 anos, moradora na Favela da Coréia, em Senador Camará, zona oeste do Rio, é uma das mais recentes vitimas da barbárie instalada no Brasil e da ação de extermínio de pobres perpetrada pelas forças policiais assassinas e covardes. Jorge Cauã teve o coração varado por bala disparada por policiais, por volta das 11 horas do dia 17/10, quando policiais atiravam contra supostos traficantes que se escondiam dentro de um barraco ao lado onde ele morava. As balas de fuzis atravessaram as paredes e destruíram todos móveis da casa onde estavam Cauã, sua mãe e um bebê de 9 meses. Outros dez moradores da favela também foram assassinados.


Imagens de emissoras de TV exibidas no dia não conseguiram esconder e mostram a policia disparando em direção aos barracos, o Caveirão (carro blindado) disparando para todo lado e policiais atirando de dentro de um helicóptero, alvejando e assassinando diante das câmeras, dois homens desarmados e sem camisa que corriam desesperados pelo morro descampado, ao lado da favela. Segundo relatos dessa própria imprensa foram sete horas de intensos disparos (sete horas de terror) em diferentes pontos da favela, que é plana e se estende por cerca de cinco quilômetros. Quatro policiais e um morador ficaram feridos; outros 13 moradores foram presos.
Como denuncia a Justiça Global, a OAB-RJ e mais de 30 entidades democráticas, há 10 meses a população do Rio de Janeiro vem assistindo a repetidas execuções sumárias de supostos traficantes. As ações da policia têm provocado medo e terror nas comunidades, impedido o funcionamento de escolas públicas e fechado o comércio local assim como aconteceu no Complexo do Alemão. No dia 27 de Junho de 2007, uma megaoperação nesta comunidade deixou 19 mortos. Desde então, em várias comunidades no Rio, mais de 100 pessoas foram assassinadas durante incursões policiais.
As cenas exibidas pela televisão confirmam que o foco principal da polícia é a execução: dois rapazes, supostamente traficantes, foram perseguidos por helicópteros, alvejados e mortos diante das câmeras. A polícia do Rio insiste em ter como critério de eficiência o alto índice de mortes.
Essa barbaridade policial é o cotidiano vivido pelos pobres nas favelas e periferias e que o noticiário da imprensa e filmes, como tropa de elite, buscam criar o caldo de cultura fascista para legitimar e justificar a matança desenfreada. Os policiais invadem as localidades pobres, inclusive com uso de carros blindados e helicópteros, disparando armas de guerra, sem se importar em quem vai atingir; afinal ali só tem pobres; não têm nenhum marginal rico, políticos corruptos, governantes fascistas, senadores devassos, deputados mensalão, banqueiros, latifundiários, grandes empresários, etc., de quem essa tropa de covardes recebe ordens e é a principal base de sustentação! A imprensa fascista usa de todos os subterfúgios para justificar a política do governo de criminalização da pobreza e as chacinas perpetradas pelo aparato repressivo.
Na incursão que assassinou o menino Cauã e mais dez moradores da favela, foram mobilizados cerca de 500 policiais civis de delegacias especializadas do Rio e policiais militares. A imprensa, também fascista, registra a morte de 12 pessoas - dez moradores que ela faz o prejulgamento de ligação com o tráfico, um policial e a criança de quatro anos – que devido a sua tenra idade não tem como taxá-la de marginal e traficante. Para essa imprensa fascista os 10 moradores mortos são apenas um número; não tem nomes, sobrenomes nem idades, apenas a imputação de ligação ao tráfico que para esses canalhas já justifica a pena de morte e execução sumária – isto bem claro se for do varejo, da arraia miúda, porque aqueles que financiam/chefiam/acobertam e auferem altíssimos lucros com o tráfico (políticos, empresários, coronéis, delegados, etc.) são devidamente ocultados e protegidos. A imprensa fascista faz questão de registrar apenas um lado. Registra o nome, sobrenome e idade dos policiais que são atingidos nessas barbáries perpetradas pelo sistema, bem como o drama de suas famílias, ocultando o sofrimento e tragédia das famílias dos ditos traficantes.
Prova do adestramento dessa imprensa é o denominado Curso de Segurança para Áreas Hostis, realizado no Rio de Janeiro, dos dias 15 a 20 de outubro e ministrado por um mercenário que vem do Afeganistão, onde trabalha para a TOR (sigla em inglês de Treinamento de Recursos em Operações), empresa de segurança inglesa especializada em treinar assassinos profissionais que atuam em áreas conflagradas por conflitos armados no mundo (diga-se, países invadidos e agredidos pelo imperialismo, com suas populações submetidas a todo tipo de atrocidades). Entre os palestrantes está o ex-capitão do Bope, Rodrigo Pimentel, co-roteirista do filme Tropa de Elite. Participam 25 jornalistas (cinco do Globo) e aulas práticas são dadas no estande de tiros da policia civil, no bairro do Cajú e nas vielas da “favela” construída para treinamento do exército. O treinamento é uma iniciativa dos sindicatos patronais das empresas de rádio, televisão, jornais e revistas, em parceria com os pelegos do Sindicato dos Jornalistas e conta também com o International News Safety Institute (INSI). Isso é uma doutrinação fascista e está muito distante de uma instrução de meios de proteção para jornalistas que cubram áreas de conflito.
O fascista secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, declarou que a operação na favela cumpriu parte do objetivo, e o fascista governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) afirmou que a polícia estava lá para defender os inocentes e livrar a comunidade da barbárie. Segundo ele, o ataque aos pobres será permanente e dará todo apoio às incursões de extermínio da polícia. O secretário tem carta branca para agir e meu estímulo para que trabalhe cada vez mais nessa direção.
É um governador fascista desse tipo e mandante de assassinatos de pobres que o bobo da corte, o gerente Luiz Inácio, considera como grande aliado! Se houvesse democracia e justiça nesse país, esse governador e o secretário de segurança fascistas, teriam que ser imediatamente exonerados e presos e feita uma rigorosa investigação das circunstâncias de todas as mortes ocorridas na Favela da Coréia e a rigorosa punição dos outros culpados. Mas como acontece com as constantes chacinas de pobres ocorridas no país, persiste a impunidade e covis de bandidos como o governo do Rio, o Congresso Nacional de corruptos, mensaleiros e sangue-sugas, etc., seguem impunes.


Só a mobilização popular, a aliança operário-camponesa para a constituição de uma nova e verdadeira Democracia com derrubada desse Estado podre e genocida e a supressão desse sistema de exploração é que poderá haver e garantir justiça aos pobres.
Matéria publicada na capa do jornal "O Dia" - de 20/10/2007 A própria imprensa reacionária não teve como esconder a barbárie perpetrada pelas bestas feras e bando de imbecis que promoveram sete horas de intensos tiroteios na Favela da Coréia, NO Rio de Janeiro. Apesar disso, essa mesma imprensa sempre procura aliviar a responsabilidade do Estado genocida, sua política de extermínio e sua policia assassina.

29 de out de 2007

28 de out de 2007

[AÇÃO] Campanha pelo fim do Senado


O Congresso Nacional, com seus 81 senadores e 513 deputados federais, tem um orçamento de 6 bilhões para 2007, gastando R$ 11.545,04 por minuto. Cada deputado federal custa R$ 6,6 milhões por ano, enquanto cada senador custa cinco vezes mais, R$ 33,1 milhões por ano. Declaramos guerra à corrupção institucionalizada e nosso primeiro alvo é o Senado Federal, que se tornou um apetrecho político desnecessário para o Brasil. VAMOS COMEÇAR A LIMPEZA DIMINUINDO O TAMANHO DO LAMAÇAL?
(Sr. finado Senado)

Você também pode participar da comunidade no orkut, mandar um email para o seu senador preferido ou conferir a relação de escândalos políticos brasileiros dos últimos 30 anos.


[Fotografia] Colonia del Sacramento - Uruguay


A cena foi fotografada 1 dia antes de começar o ano de 2007.
Local: Colonia del Sacramento - Uruguay
As águas da fotos, são do "Rio del Plata" que separa a Argentina do Uruguai, a comunicação entre os dois povos é feito por terra dando a volta no rio, ou através de uma balsa chamada "Buquebus".
O camping em Colonia del Sacramento custou o equivalente a R$3,00 a diária, e o camping em Tigre na Argentina custou aproximadamente R$15,00 + R$11,00 (balsa que leva ao camping). para chegar em Tigre há um trem no centro de Buenos Aires, que leva 45 minutos.
A balsa demora 15 minutos até o Camping, e o Buquebus demora cerca de 3 horas de Colonia até buenos Aires e custo aproximadamente R$60,00.


Galeón de Oro (Argentina)
Río Sarmiento 93 - Muelle Galeón de Oro, Delta de Tigre - Pcia. Buenos Aires
Website - http://www.elgaleondeoro.com.ar/



23 de out de 2007

[MÚSICA] Punkeca di Matu

Numa obscura noite de sexta feira 13 em princípios do novo milênio dois amigos que só queriam saber de cachaça e ramones tiveram,enquanto roubavam cachaça do cemitério,sob a embriaguez de álcool e pscotropicos, um encontro com uma entidade oculta, que foi o prenuncio duma ruptura em suas vidas que macularia suas almas pela eternidade.


A entidade revelou-lhes através de heréticas profecias , que a única forma de se redimirem de tamanha profanação proferida contra os antigos e macabros rituais, seria formarem uma banda de punk que maculasse toda a moral vigente sob o signo da subversão dos valores, da azucrinação para com os rótulos e estereotipos, da heresia para com as instituições vigentes, do descaso e da subversão para com o status quo e a lei, que proferissem cânticos infernalmente rápidos e pesados que tivessem o poder de fazer com que os públicos mais resistentes fossem repelidos, fugindo atormentados para de baixo de seus colchões


Foi então que surgiu sob o epíteto de PUNKECA di MATÜ Social Pankangacero, tendo como primeiro estrondo musical “pinga de cemitério”, a qual narrava o caso e pacto. Alguns músicos passaram pela banda, um terceiro elemento se iniciou na seita, alguns membros se afastaram atormentados por terríveis pesadelos e visões, mas finalmente ao quinto ano do presente milênio novos profetas nos são apresentados por revelações em “poças de ypioca” e a banda se firma na plenitude de sua maturação em um pacto de morte e barulhos ensurdecedores


20 de out de 2007

[ARTE E RUA VÍDEOS] Happy Rap II


Vinheta Produzida pela Elétron's Bean Record (Arte e rua Vídeos & Truta Music Rock)


Direção e Produção









Bruno Santos
Digu Hang




Para Assistir a vinheta

http://www.youtube.com/watch?v=UNp5M7OjoZY


Arte e Rua Vídeos
www.arteerua.blogspot.com
Truta Music rock
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=36469106


11 de out de 2007

[NEWS] Insane Street Dance

O Insane Street Dance é um grupo de Dança de Rua de Petrópolis-RJ que esse ano completa 5 anos de existência.

O grupo começou na quadra da Paróquia Santa clara em Petrópolis-RJ, junto com o projeto comunitário "Pró-jovem" criado pela comunidade do Bairro Valparaiso. Cerca de 70 alunos ocupavam a quadra e recebiam aulas semanais com o coreógrafo Digu Hang.


Após, o grupo passou a ensaiar a Escola de Música Santa Cecília, e no Centro de Cultura Raul de Leoni. Hoje os ensaios são na casa do coreógrafo.


FOTOS DO GRUPO






7 de out de 2007

[MATÉRIA] A escola é uma fábrica

A escola de Atenas (1509-1511)

O surgimento da sociedade burguesa moderna caracterizou-se pela total destruição das relações feudais e, ainda mais, pela crescente “economização” da vida. Como na sociedade burguesa o que interessa é o lucro, foi necessário o aumento da acumulação de capital pela burguesia, bem como o surgimento de uma classe que não possuísse nada além de sua força de trabalho (o proletariado). Este processo tem seu início na expropriação de terras dos camponeses ingleses, durante o “cercamento”, e continua com o disciplinamento desses novos despossuídos para o trabalho forçado. E é para este segundo aspecto que queremos voltar nossa atenção, especialmente para o papel fundamental das instituições disciplinares neste processo, e, assim, como as disciplinas (diversos métodos e técnicas para treinar o corpo à obediência) foram utilizados para a obtenção do máximo de utilidade.

O trabalho do camponês no feudo

Primeiramente, foi necessário criar um espaço disciplinar “heterogêneo a todos os outros e fechados em si mesmo”, onde possa atrapalhar a atividade produtiva. Foi assim com a organização do espaço disciplinar nas escolas, nos hospitais, nas fábricas e instituições militares: a utilização dos espaços nas fábricas não são para melhorar as condições de trabalho dos operários, mas sim para a obtenção do máximo de produtividade, sem deixar de atender à constante vigilância hierárquica; portanto, vem primeiro a disposição das máquinas, depois daqueles que as utilizam. Da mesma forma nas instituições militares criaram-se espaços a serem ocupados pelos recrutas, soldados, cabos, sargentos, etc., segundo o posto hierárquico adquirido após as diversas fases disciplinares. O espaço hospitalar constituiu-se num lugar constante de vigilância e controle sobre os pacientes. As escolas não fogem dessa lógica, de utilização das disciplinas para a obediência e a produção.

Criança soldado

Falando de disciplina, podemos dizer que é na escola onde tudo se inicia. Basta olharmos com um pouco de atenção que logo reconhecemos as semelhanças desta com as demais instituições disciplinares: muros e pavilhões separam os “alunos” do mundo exterior e de todo e qualquer contato que possa desviar sua atenção do programa ali utilizado. Predomina uma vigilância hierárquica (professor x “aluno”, inspetor x “aluno”’, inspetor x professor; diretor x inspetor...), para que nem “alunos”, nem professores nem inspetores possam sair da “linha”. Em toda escola existe a “Turma A”, com os supostos “melhores”. Ora, a lógica é da produtividade e do controle: quanto mais homogênea é a turma, mais fácil identificar aqueles que perturbam a “ordem” e o bom andamento do “aprendizado”.

O professor japonês já foi acusado diversas vezes
de ter aplicado castigo corpotal aos seus alunos,
mas mesmo assim foi considerado um “superprofessor”

Nas salas de aula, organiza-se um espaço analítico: distribui-se cada indivíduo em um lugar e em cada lugar um indivíduo. O professor exerce o papel de regulador, controlando as comunicações, estabelecendo-as ou sancionando-as, contabilizando as presenças e ausências, classificando os alunos segundo seus “méritos”, habilidades e aptidões, vigiando o comportamento de cada indivíduo, podendo isolá-lo ou puni-lo caso o ache prejudicial ao processo de “aprendizado” do restante da turma.


Os horários são estabelecidos para a construção de um tempo integralmente produtivo. Horários de entrada, 15 minutos após os quais os portões são fechados e ninguém mais entra nem sai. Durante esse período toda a atenção deve estar direcionada às atividades ali desenvolvidas. No curto período de intervalo, os “alunos” estão livres para fazer o que bem entenderem, mas não longe do olhar atento do inspetor, e assim todo o tempo é regulado para anão perder a produtividade. É essa também a mesma lógica da organização arquitetônica do espaço, criado já com fins específicos da vigilância hierárquica e o controle social.



Fonte: Revista Contra a Corrente
Autores
: André, Daniel, Digu, Edson, Emiliano
Ilana, José Roberto, Patrick, Rômulo, Tyrone

6 de out de 2007

28 de set de 2007

[MÚSICA] FatBoy Slim


Fatboy Slim (nascido Quentin Leo Cook
, Kent, Grã-Bretanha), também conhecido como Normam Cook, é do Reino Unido, e um dos DJs mais famosos de todos os tempos. Apesar de originalmente baixista em uma banda de rock, somente sob o codnome de Fatboy Slim e com o toca-discos atingiu o auge de sua carreira. A mistura de house, acid, funk, hip-hop, electro e techno, o consolidou de vez como um astro dentro do cenário da música eletrônica.



Depois de abandonar o Pizzaman, seguiu carreira definitiva como Fatboy Slim. O álbum de estréia foi Better Living Through Chemistry, de 1996. Antes de lançar mais um disco, Cook fazia remixagens de canções já conhecidas, como por exemplo "Body Movin" dos Beastie Boys

Apenas o mercado estado-unidense recebeu On the Floor at the Boutique, o resto do mundo teve mesmo que esperar o próximo lançamento. You've Come a Long Way, Baby apareceu no final de 1998, alcançando um disco de platina nos Estados Unidos. O mundo das celebridades, informações sensacionalistas e exposição pública são representados em Halfway Between the Gutter and the Stars, seu próximo álbum


Em 2002 é gravado o álbum Live on Brighton Beach. Em 2004 lançou o álbum Palookaville que rendeu até mesmo uma turnê pelo Japão e uma passagem pelo Brasil, em 2005. Desta vez esteve, inclusive, em Balneário Camboriú onde fez uma sessão para mais de quatro mil pessoas. Fatboy lançou em 2006 o álbum Why Try Harder.
Em
2007 uma nova apresentação em Brigton Beach levou mais de vinte mil pessoas para a terceira edição do Big Beach Boutique. Em Fevereiro, FatBoy Slim esteve novamente no Brasil, numa turnê por várias cidades como Recife, Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Guarapari, Brasília e Balneário Camboriú. Esta turné no Brasil incluiu uma apresentação exclusiva e ao vivo no Second Life que virou um videoclipe postado por Fábio Varicoda no YouTube [1]. Inclusive tocou durante uma festa no BBB7.


PARA OUVIR:

(easy-share)