.

.

29 de set de 2013

Ação Rock Social em Maringá-PR



Vídeo produzido pela Eleva Audiovisual
www.youtube.com/elevaaudiovisual

7 de set de 2013

Nasce o Ateneu Libertário de Carabanchel (Espanha)

Comunicado:

Com o presente comunicado, a assembleia do Ateneu Libertário de Carabanchel quer tornar pública a liberação de todo o imóvel que okupamos há duas semanas na Rua Valentín Llaguno, 32, ao lado de uma das principais vias do bairro de Carabanchel, a Rua General Ricardos, no metrô de Oporto.

O objetivo que almejamos com esta okupação é dotar o bairro de um local especificamente anarquista, concretamente um projeto de Ateneu Libertário que sirva como impulso e difusor de diferentes projetos libertários no bairro e em toda Madri. A difusão das ideias e cultura libertária no bairro terá um novo referencial. O projeto, é impulsionado pelas Juventudes Libertárias de Madri (FIJL) e o Grupo Anarquista Heliogábalo, coletivos que aderiram a este novo ateneu libertário desde sua gestação há meses.

O funcionamento do Ateneu, às custas de concretizar o projeto e habilitar definitivamente o espaço, será como não pode ser de outra maneira, tratando-se de uma iniciativa anarquista, de funcionamento horizontal e assembleário, sem necessidade de líderes nem estruturas hierárquicas de nenhum tipo, partindo da igualdade de todos os seus membros e projetos afins participantes.

Após avaliar as diferentes opções possíveis a fim de concretizar o projeto de Ateneu, nos decidimos pela okupação por supor essa via, uma forma de questionar um dos principais pilares da apodrecida sociedade estatal-capitalista: a propriedade privada. Não reconhecemos a ninguém o poder de apropriar-se dos bens básicos na vida das pessoas, como a alimentação, a moradia ou a cultura, entre outros e colocar-lhes preços com o fim de obter lucros ou obrigando as pessoas a vender sua força de trabalho para poder suprir suas necessidades básicas através do jugo do trabalho assalariado para enriquecer uma minoria parasita. Por isso temos okupado. Porque consideramos a propriedade privada um roubo à humanidade, protegido e propiciado pelo Estado.

Nós entendemos que a okupação não é por si mesma revolucionária, nem deve converter-se em um gueto estético, nem ser um lugar onde se está em festa. Depende do caráter político que lhe queremos dar. Não mendigaremos nada ao Estado porque não o reconhecemos mais que como instituição repressora, nem queremos receber ajuda externa a nós mesmos ou a solidariedade em pé de igualdade entre companheiros e companheiras. É um projeto anarquista que utiliza a okupação como meio, não como fim em si mesma, pois a nossa finalidade é acabar para sempre mediante a revolução social com a sociedade do Capital e o Estado que oprime e subjuga as pessoas em todo o mundo.

O marco geográfico em que pretendemos que cresça este Ateneu, se situa em um histórico bairro operário madrilenho, como é Carabanchel, com um importante contexto histórico nas lutas sociais. Portanto, não é alheio aos processos especulativos de imobiliárias e proprietários que pretendem fazer os bairros operários em Madri, bairros mortos, sem vida nem relações sociais que não estejam mediatizadas pelo dinheiro e o consumo. Os bairros operários sofrem de altos preços para rechaçar aos setores da população que não tenham um alto perfil de consumo, expulsando-os para a periferia. Este processo é orquestrado pelo Estado com um aumento da repressão e a presença de mercenários policiais, restrições ao uso comum do espaço público, eliminação de elementos que façam parte da memória coletiva (como a prisão de Carabanchel, símbolo do aparato repressivo do Estado franquista)... etc. Vemos como vital a proliferação de espaços sociais, onde estabelecer relações baseadas na liberdade e igualdade. Espaços arrebatados dos especuladores e do Estado, como ferramenta de luta para frear estes processos especulativos, que incentivem a aparição de consciência revolucionária mediante a ação direta dos próprios afetados e oprimidos, sem intermediários nem delegação a ninguém (juízes, políticos, polícia, partidos políticos, burocracias sindicais, etc).

Esperamos que nosso projeto, ainda que humilde, sirva para dar fôlego às ideias anarquistas de liberdade, justiça, solidariedade, apoio mútuo, ação direta e autogestão em um mundo assolado pelos valores autoritários: o egoísmo, a inveja, o sexismo, o nacionalismo, a homofobia, o racismo, a xenofobia... No marco de um contexto social, político e econômico de ofensiva do Capital contra os oprimidos e explorados do planeta, mas também onde os brotos da revolta e a raiva florescem pelo mundo (Grécia, Turquia, Brasil, diversos países árabes...), esperamos contribuir com nosso projeto ao germe da revolta, a rebeldia e a insurreição em molde anarquista, contra toda forma de autoridade.

Fazemos um chamado a todo aquele solidário ou solidária que se mantenha alerta a fim de evitar um possível desalojo expresso deste novo espaço liberado. Enquanto limpamos e habilitamos o lugar, ficará aberto ao público e começará a ter vida com constantes atividades culturais e como lugar de referência para diferentes projetos anarquistas. Até então, agradecemos toda mostra de solidariedade com muita ajuda e coisas que vamos necessitar. Viva a anarquia.

Auto-organização, solidariedade e ação direta!

Ateneu Libertário de Carabanchel

FIJL Madrid

Grupo Heliogábalo





Fonte: ANA - Agencia de Noticias Anarquistas