.

.

30 de mai de 2009

[NEWS] Anarquistas na mira da polícia canadense

Ativistas da rede anarquista Causa Comum, de Hamilton, temem que a polícia desta cidade criminalize o/as organizadores da 2ª Feira de Livros Anarquista de Hamilton, após um relatório policial ter identificado a feira como sendo uma fonte potencial de crime de ódio.

Ao apresentar o relatório “Crime de Ódio do Fim do Ano” (disponível na internet) para a Junta Policial de Hamilton em 19 de maio, o Sargento Michael Goch declarou que a polícia estará “monitorando ativamente” a feira de livros programada para o dia 6 de julho.

Alex Diceanu, tesoureiro de Ontário do Causa Comum respondeu: “Assim como o/as organizadore/as da anual feira de livros, e assim como o/as anarquistas e ativistas locais, o Causa Comum está profundamente preocupado com estas declarações”.

“Esta é uma manipulação das leis do crime de ódio para criminalizar o/as ativistas. Nestes tempos de crises econômicas e ambientais, acompanhado de um desengajamento político crescente, eventos educativos e de ativismo como a feira de livros deveriam ser encorajados, e não arrefecidos com vigilância”.

O relatório também identifica o encontro do G8 em 2010 (Huntsville, ON), a Olimpíada de Inverno de 2010, as “questões de recuperação de terras nativas locais”, o “movimento anarquista” e a “reação anti-governo e anti-instituição gerada pela crise econômica e a perda de emprego” como tendências e eventos que “talvez tenham impactos e repercussões significantes sobre a comunidade de Hamilton em termos de incidentes relacionados à propensão ao ódio”.

Pela primeira vez o relatório também inclui pichações e grafites que fazem menção à polícia, mesmo embora isto contradiga a própria definição do relatório sobre o que seria um crime de ódio.

Diceanu comentou: “Estamos preocupados que os recursos públicos destinados a investigar crimes de ódio estejam sendo focados sobre pessoas que estão tentando melhorar esta sociedade, defender à Natureza”.

A Feira de Livros Anarquistas não é uma ameaça à sociedade!

Ela é aberta ao público e a toda a família, oferecendo cuidados infantis sem custo e oficinas para crianças.

Aproximadamente 300 pessoas participaram da feira de livros do ano passado. Ativistas irão se reunir novamente para trocar literatura e outras formas de informação.

As oficinas na feira de livros tentarão abarcar questões enfrentadas pelos grupos marginalizados nomeados na legislação de crimes de ódio, incluindo os povos indígenas, grupos que sofrem preconceito racial, pessoas encarando barreiras de incapacidade e outros. Outras oficinas tratarão da crise econômica, justiça ambiental e organização no espaço de trabalho.

Os Princípios Básicos do Causa Comum declaram claramente que: “Nós não somente nos opomos a todas as manifestações de opressão como o racismo, o sexismo, o sectarismo religioso e a homofobia, mas também lutamos ativamente contra todas elas”.

“De fato, o/as anarquistas sempre procuraram entender e acabar com todas as formas de opressão em nossas lutas para criar um mundo marcado pela igualdade verdadeira, liberdade, paz e harmonia com a Natureza”, explica Diceanu.

Tradução > Marcelo Yokoi

agência de notícias anarquistas-ana

25 de mai de 2009



ECO ARTE E RUA é um projeto de Arte em materiais recicláveis.
Na imagem acima uma arte feita na parte de trás de um cartaz de filme.

20 de mai de 2009

[AÇÃO] Movimento Anarquista no mundo

A diversidade do movimento anarquista mundo afora


[Acontecerá nos próximos dias em diversas partes do mundo uma série de eventos libertários que espalham a luta, a intensidade, a vibração, a história e a diversidade do movimento anarquista atual, que, "aos trancos e barrancos", segue crescendo paulatinamente. Na seqüência uma "pequena" mostra desta vivacidade anárquica.]

[Portugal]

Em 22, 23 e 24 de maio acontece em Lisboa a “Feira do Livro Anarquista”. Segundo o/as organizadores da jornada, eles querem “ir além da informação e da opinião. Partindo de diferentes projetos, pretendemos criar um espaço de discussão, reflexão, encontro e confronto de idéias anarquistas, onde cada um destes projetos se possa desenvolver.. Numa tentativa de encontrar e conhecer outros indivíduos e descobrir potenciais cúmplices no que cada um de nós deseja, continuamos (e continuaremos) a dar importância à palavra escrita enquanto ferramenta de comunicação e ataque.” Mais infos: http://www.blogger.com/feiradolivroanarquista.blogspot.com

[Reino Unido]

Anarquistas da cidade de Cardiff vão realizar pela primeira vez, em 23 de maio, a "Feira do Livro Anarquista". O encontro apresentará durante um dia palestras, debates e um espaço para a criação de redes, bem como barracas com livros, revistas, jornais, DVDs, CDs, camisetas, bottons e muito mais, com as contribuições de grupos locais, nacionais e organizações internacionais, distribuidores, editores, campanhas, ativistas e coletivos anarquistas. O evento será encerrado com um grande painel de discussão sobre "o tipo de movimento anarquista que queremos". Mais infos: http://www.southwalesanarchists.org

[Itália]

Acontece em Modena, numa antiga fábrica de queijo ocupada, nos dias 22, 23 e 24 de maio, a tradicional "Feira da Autogestão". Três dias de debates, exposições, mostra de filmes, concertos e oficinas práticas aqui e agora de alternativas autogestionárias. Exemplo: "Laboratório de autoprodução de energia solar". Mais infos: www.libera-unidea.org

[México]

A Federação Local Libertária organiza no dia 23 de maio, no Centro Social Libertário Ricardo Flores Magon, no Distrito Federal, capital do México, a “Videorevista SIN(A)PSIS e NOTILIBERTAS”. Si[a]psis é um projeto de contra-informação audiovisual cujo objetivo é a difusão das idéias e práticas de distintos movimentos sociais autônomos, autogestivos, revolucionários e libertários na República do Chile. Por outro lado, A Cooperativa Libertas Anticorp é um projeto libertário que trabalha os meios livres, mediante a criação e difusão de material de TV pela internet e material de vídeo documental copyleft e creative commons. São abordados temas do movimento político- social no México como Oaxaca, Atenco, Chiapas, Guerrero etc. Na programação do evento palestras com o/as realizadore/as de ambos os projetos; projeção e debate dos melhores trabalhos de ambas as produtoras libertárias; e venda das edições de Videorevista Sin(a)psis e os documentários da Libertas Anticorp. Mais infos: http://colectivoautonomomagonista.blogspot.com/

[Brasil]

No Rio de Janeiro, nos dias 26 e 27 de maio, acontece o “Colóquio 200 Anos de Proudhon”. De acordo com os organizadore/as, a realização deste colóquio “visa apresentar este pensador aos setores dos movimentos sociais e comunidades acadêmicas que se interessem por ter contato com a vida e a obra de Proudhon, explorando diversos temas como: “Proudhon e a Dialética”, “O mito da classe produtiva em Proudhon”, “A Contribuição de Proudhon para o Brasil”, “Crítica à Propriedade pelo Movimentos Sociais”, “Proudhon e a Franco-Maçonaria”, “Proudhon e Educação”. Mais infos: http://www.ifcs.ufrj.br/~amorj/

Ainda no Rio de Janeiro, no Centro de Cultura Social, no dia 23 de maio, acontecerá o lançamento do livro "Anarquismo Social", feito pela Federação Anarquista do Rio de Janeiro (FARJ), “após cinco breves, mas não menos intensos anos de luta política e social”.. A obra lietrária passa por diversos temas: anarquismo social; luta de classes e relações centro-periferia; breve história do anarquismo no Brasil; perda e tentativa de retomada do vetor social do anarquismo; capitalismo e Estado; a revolução social e o socialismo libertário como objetivos finalistas; os movimentos sociais e a organização popular. Na ocasião também será inaugurado o cine-clube “Tiê-Sangue”, com a exibição de filmes produzidos pelos coletivos de produção visual “Tiê-Sangue” e “Bucaneiro”. Durante o evento comes e bebes. Mais infos: www.farj.org

[Espanha]

A "Feira Libertária" de Madri acontece em 22, 23 e 24 de maio. Na programação debates: “Nacionalismo e Anarquismo”, “Movimento Obreiro durante os anos 70 e 80”, “Mulher e Anarcosindicalismo”; mostra de vídeos: “Movimento de bairro em Atenas”, “Mulheres Livres”; mais exposição, venda e lançamento de livros: “José Pellicer. Um Anarquista”, “Anarcosindicalismo. Teoria e Prática”. Todos os dias comedor vegano. A Feira é organizada e acontece no amplo espaço da Federação Local de Madri da CNT-AIT. Mais infos: http://sovmadrid.cnt.es/comunicamos6.htm#feria

Em Barcelona, de 26 a 31 de maio, acontece o “OVNI 2009 RIZOMAS”, com uma extensa e ótima programação de vídeos, concertos, intervenções e debates, com John Zerzan, do Green Anarchy, “Critica da Civilização”; Espai em Blanc, “Digno é tudo aquilo que merece não ser destruído”; Abdelnour Prado, “O islam como anarquismo místico”; E.Duran, M.Deriu e F.Schneider, “Frente à crise do crescimento, Decrescimento!”; e Alberto Arce. “Gaza, Riscados do mapa”. Mais infos: http://www.desorg.org Rizomas: “Um sistema sem centro, hierarquias nem significado fechado, sem um General e sem memória organizativa ou automatismo central, definido unicamente por uma circulação de estados e intensidades”.

A “8º Tatoo Convenção" de tatuagens beneficente aos preso/as e acusado/as judicialmente, acontece em Barcelona, no Ateneu del "Maig 37", em 22, 23 e 24 de maio. A primeira Convenção foi realizada em Roma (Itália), em maio de 2007, depois em Torino, Barcelona em outubro de 2008, em maio de 2008 novamente em Roma, em setembro em Chiclana, Cadiz, em outubro em Tessalônica (Grécia), e neste ano, em 15, 16 e 17 de maio em Roma e agora em 22, 23 e 24 em Barcelona. O/as organizadore/as explicam: “A cada ano se expande mais o “Tattoo Circus” como outra ferramenta solidária e autogestionária. Na “Tattoo Circus” participam tatuadores, piercings, malabaristas e tantos outros personagens de forma desinteressada, sem fim lucrativo, em um encontro solidário comum, a Liberdade! Não se pretende competir, nem exigir níveis artísticos. Participam quem esteja aberto a um encontro de amizade, intercâmbio de experiências e, sobretudo, uma causa comum. A entrada não será cobrada, mas não pode entrar cachorros, nem outro animal, por uma questão de higiene. O bar terá preços populares e os comedores serão a vontade, porque pretendemos uma consciência sem exigir um preço pautado. Neste fim de semana desfrutaremos de grafites, exposições de cartazes, tatuadores de diferentes estilos, escarificações, concertos, comidas, uma variedade de malabaristas, acrobatas, clown, equilibrismo, trapézio, mágicas, suspensões (se buscas adrenalina, venha se pendurar!), curtas metragens, amigo/as, risadas, surpresas, aplausos, criatividade, informação, DJs, bailes, tragos e muuuuuita tinta.”

De 23 até 30 de maio a CNT-AIT de Sevilha organizará a "XI Jornadas Libertárias". O/as organizadore/as contam: “A Jornada começa com uma festa com as avós de São Bernardo e culminam com itinerário histórico nas vizinhanças onde foi gestada a resistência trabalhadora ao Golpe de Estado de 18 de julho de 1936.. Em ambas caminhadas conheceremos histórias diversas que representam uma mesma luta para conquistar e construir espaços de liberdade e solidariedade. Assim apresentaremos o livro “Anarquismo e Antropologia”, do nosso companheiro Beltrán Roca. Também conheceremos propostas de autogestão libertária como alternativa ao modelo capitalista atual. Além disso, debateremos a luta pela defesa de uma cultura livre, contra as políticas oficiais restritivas que estão sendo impostas e intensificadas dia-a-dia, e ainda teremos a oportunidade de passar uma tarde com o/as vizinho/as de alguns bairros em luta de nossa cidade, que compartilham o objetivo comum de ser protagonistas de sua própria história cotidiana. Estas Jornadas será um lugar de encontro, debate e discussão ao redor de idéias e práticas de luta coletiva e um espaço comum em que vamos nos divertir, compartilhar experiências, abrir novas perspectivas e somar forças para continuar a luta.” Em todos os dias da Jornada haverá degustação de produtos da La Ortiga (cooperativa de consumo de produtos ecológicos de Sevilha). Mais infos: http://sevilla.cnt-ait.es/cms/index.php?option=com_content&task=view&id=191&Itemid=1

[Grécia]

Durante os dias 27, 28, 29, 30 e 31 de maio acontece a "4˚ Feira do Livro Anarquista" dos Bálcãs, nos dias 27 e 28 a Feira rola em Tessalônica, já em 29, 30 e 31 o evento passa a acontecer em Atenas. Ambas sob o lema “Bálcãs, da exploração e nacionalismo, aos Bálcãs de solidariedade e luta”. Na programação, além das mostras de vídeos e lançamentos de livros, festival de canções balcânicas, discussões sobre: “A história do Movimento Anarquista Búlgaro”, “Nestor Makhno”, “Bálcãs nacionalistas aos Bálcãs de solidariedade”, entre outros temas. O evento contará com a participação do conhecido historiador anarquista sérvio Andrej Grubačić. Mais infos: www.balkanbookfair.org

[EUA]

Nos dias 21, 22, 23 e 24 de maio, em San Francisco, na Califórnia, acontece o "Festival e Convergência" em comemoração ao 29º aniversário do Food Not Bombs (Comidas Sim, Bombas Não), com uma série de eventos ao ar livre e num anfiteatro, com uma programação muito boa em torno de debates, mostra de filmes, exposições, performances com palhaços e dançarinos, concertos, jogos, oficinas, atividades e espaços para crianças. Tudo numa área de 317 hectares, com árvores, trilhas... no meio da natureza! Mais infos: www.soupstock.org

Da Lua Nova à Lua Cheia, de 24 de maio a 6 de junho, acontece no Sul do Colorado, na Floresta Nacional, num ambiente selvagem, o "Acampamento Anti-civilização e Primitivista", chamado de "Feral Futures", que estará "centrado" em diversos workshops, estratégias e táticas anti-civilização e primitivistas, entre outras atividades de conexão com a natureza. Mais infos: www.myspace.com/feralfutures

agência de notícias anarquistas-ana

Ventos exibidos,
que cantam fortes, uivantes,
também desafinam...

Leila Míccolis

15 de mai de 2009

[AÇÃO] Grécia - Fascistas não passarão!

Em 8 de maio, mais uma vez, o centro de Atenas viu claramente a cooperação entre os fascistas e a polícia grega.]

Ante a concentração fascista na Praça Omónia, se organizaram três concentrações diferentes em vários pontos pelo centro de Atenas. Uma na rua Menandru pelo grupo Y.R.E. (Youth Against Rascism in Europe), outra na Praça Kotziá pelos grupos Antarsya, EEK (esquerda anti-parlamentária) e outros sindicatos de base, e a terceira na Praça Káninggos por grupos anarquistas. Os objetivos eram a suspensão da manifestação-concentração de cunho fascista.

As pessoas iniciaram a concentração na Praça Eksárjia para depois seguirem juntos até a Praça Kánniggos. Entre cerca de 400 pessoas com gritos, faixas e alguns com máscaras, paus, capacetes etc., pois estavam preparados para uma reação violenta da polícia, saíram da Praça. Logo à frente um contingente policial muito grande nas ruas ao redor do bairro de Eksárjia e fascistas cercando os manifestantes em motos (um deles fugiu jogando-se na calçada e correndo dos manifestantes) enfim, chegamos a Praça de Kániggos. Alguns camaradas que faziam a vigilância dos manifestantes saíram feridos, como era de se esperar.

No entanto, até aquele momento nada mais atrapalhou a manifestação. Não havíamos nem andado 20 metros, quando a polícia antidistúrbio e a equipe Delta (emparelhada em motos) aparecerem na rua Akadimias e nos atacaram com grande quantidade de gás lacrimogêneo, a ordem era clara: não nos deixar chegar à Praça Omônia

As pessoas se separaram graças ao tumulto. Muitos se dirigiram até a praça de Eksárjia, uma 200 pessoas entraram na Escola Politécnica onde “moscaram” por 3 horas, já que a polícia havia bloqueado tosas as ruas ao redor da escola.

Enquanto isso, na Praça Eksárjia, com barricadas e pedras, tentando manter o cerco policial distante. Durante 3 horas, ocorreram ataques e retiradas nas ruas do bairro.

A manifestação dos esquerdistas, com mais ou menos 1000 pessoas, se inteiraram a cercar a Praça de Omônia, e também sofreram repressão policial. Na rua Menándru, umas 150 pessoas do Y.R.E. tentaram defender o edifício do antigo Tribunal local, o qual está ocupado por imigrantes.

Já os fascistas, por volta de 150, foram tomar a Praça Omônia pela manhã e atacaram inúmeros imigrantes, sempre com a permissividade da polícia, que os deixavam muito bem “protegidos” para baterem em quem quisessem! Um grupo antidistúrbio com furgões e motos havia bloqueado totalmente o acesso à Praça. No entanto, de manhã como à noite, nos metrôs, eles já eram esperados por grupos antifascistas...

De tarde, iniciou-se a manifestação dos fascistas, que ao passar pelo antigo Tribunal, atacaram com pedras imigrantes e grego que estavam lá para protegê-los. A cooperação entre a polícia e os fascistas é muito clara! Pois temos inúmeras fotos que demonstram esse absurdo!

De noite, os esquerdistas conseguiram chegar à Praça Omônia. Em uma assembléia feita na Praça Eksárjia, os 200 companheiros cercados já haviam saído da Escola Politécnica, ainda que a polícia tenha conseguido pegar alguns poucos, decidimos continuar e chegar onde os esquerdistas estavam, para juntos nos dirigirmos ao Tribunal Antigo. Entre discursos que duraram bastante tempo e sem iniciativa alguma, finalmente saímos, por volta de 200 pessoas mas, de imediato iniciaram novos distúrbios com os MAT na rua Zemistokleús, que haviam bloqueado as ruas antes da praça Omônia, com barricadas, coquetéis molotov e pedras. Finalmente nos retiramos de novo para a Praça Eksárjia, onde a manifestação se dissolveu.

É importante destacar o papel de vários jornais televisivos que falavam que "cidadãos” gregos se manifestavam contra os “imigrantes ilegais”.

Policiais – Fascistas – Meios de Comunicação: Todos os bastardos trabalham juntos!

Vídeos e fotos da cooperação entre a polícia grega e grupos fascistas: http://athens.indymedia.org/front..php3?lang=el&article_id=1027246

Tradução > Palomilla Negra

Fonte: ANA - Agencia de noticias Anarquistas

12 de mai de 2009

[GRAFFITI] Eco Arte e Rua


ECO ARTE E RUA é um projeto de Arte em materiais recicláveis.
Na imagem acima uma arte feita na parte de trás de um cartaz de filme.


9 de mai de 2009

[AÇÃO] Turquia - Protestos em Istambul


No Primeiro de Maio em Istambul, foram registrados diversos choques entre anarquistas e a polícia turca. Dezenas de jovens anarquistas encapuzados, com máscaras, bandeiras, compareceram ao centro da cidade para protestar contra as autoridades. Eles e elas atiram pedras, paus e tudo mais nos policiais e quebraram diversas janelas de bancos, caixas eletrônicos, lojas de luxo e supermercados. A polícia reagiu realizando disparos e utilizando gás de pimenta.

Aqui um vídeo que mostra a “impressionante” intervenção deste grupo de jovens anarquistas: