.

.

8 de jul de 2012

II FESTIVAL DE INVERNO INDEPENDENTE PETROPOLIS Inc



22 DE JULHO

Savana 15:00 hrs
Classificação livre

MALDITA


Descobertos por Nilo Romero em uma apresentação no Rio de Janeiro (Festival Cep 20.000) eles assinaram com o selo Nikita Records e lá gravaram se primeiro disco ; Mortos ao amanhecer (2005). O disco produzido por Nilo Romero e Damien Seth possui uma sonoplastia muito peculiar com destaques para a música Anatomia que tem mais de 550 mil execuções no Youtube. Fizeram somente em 2005, 53 shows. Finalizada a turnê em 2006, a banda se reuniu em estúdio para gravar seu segundo CD Paraiso Perdido (2007). Agora, mais maduros, a banda realizou com o produtor musical Pedro Burckhauser. O CD de quinze faixas tem como destaque as músicas Bastardos da América com um clipe/documentário gravado na favela da Rocinha, realizado por Cavi (Cavi filmes) foi muito bem aceito pela crítica e é sobre como fazem os moradores da comunidade para manter vivo o gênero Rock’ Roll.

Nos anos que se seguiram, Maldita tocou em diversos festivais e diferentes regiões do Brasil, dividindo palco com bandas internacionais como Marilyn Manson, Suicidal Tendencies, Faith no More e Deftones. Em 2009 fizeram uma turnê de 13 dias na Holanda e Bélgica. Em março de 2010 participaram do programa Estilos Brasil (Fashion Tv) que foi apresentado por Andreas Kisser (Sepultura) e tratava sobre o tema de bandas de Rock na comunidade da favela da Rocinha. Durante a apresentação da banda, o ícone do metal pegou uma guitarra e dividiu o palco com a banda. 
E logo veio o terceiro CD Nero (2010). Com produção assinada por Stanley Soares, produtor de dois discos do Sepultura.

Reconhecidos pelos fãs do rock, metal, gótico e industrial a banda Maldita entra numa fase ousada para lançar um ep, antes de lançar o quarto disco oficial. A obra é uma coleção curta, mas bem intensa.

Com uma proposta inusitada e explosiva, lança agora o EP “Montagem”, um nome que já anuncia a mistura polêmica entre o ritmo mais popular do Rio de Janeiro e o rock pesado. Alguns podem considerar a ideia muito excêntrica de fazer um crossover do metal e do funk carioca, mas a banda deixa claro que além de quebrar paradigmas e despertar um certo estranhamento, é para continuar ampliando suas características musicais.

Agora, o novo disco contempla cinco faixas com os títulos: “Mama Eu”, “Peixes”, “Jesus”, “Se eu Cair na sua casa” e “O que a lua traz consigo”, onde as críticas típicas da banda continuam só que dessa vez, guiadas pelos batidões intensos do funk. Todas as músicas também ganharam versão em inglês.

www.bmxagency.com



THE KNUTZ





Daniel Abud (vocal/guitarra), Tiago Abud (baixo) e Airton Silva (bateria) juntaram suas influências de artistas como David Bowie, Sex Pistols, Bauhaus, U2 e The Cure para criar a sonoridade da banda The Knutz em 2005. Com composições próprias, o grupo montou o primeiro disco demo no ano seguinte. Das 17 faixas gravadas, cinco foram regravadas para o disco de estreia da banda, ‘Ghost Dance Party’, cuja turnê de lançamento rendeu apresentações européias em Novembro de 2010, ao lado do novo tecladista Ronaldo César – destaque para o ‘Spider’s Web Festival’ no Reino Unido.

Já conhecida pelas energéticas performances e estética obscura, The Knutz faz parte do cenário gótico internacional e conta com mais de 100 mil visualizações e 40 mil fãs em seu perfil em www.myspace.com/theknutz.

O primeiro álbum da banda independente, Ghost Dance Party, como sugere o título, cria um ambiente fantasmagórico, mas descontraído, com a mistura de timbres eletrônicos e guitarras distorcidas. São 11 faixas que vão de baladas a músicas dançantes, passando pelo rock alternativo.

Gravado no estúdio Tomba Records e masterizado por Ricardo Garcia no estúdio Magic Master (que trabalha com artistas como Barão Vermelho, Titãs, Caetano Veloso, Lulu Santos, entre outros), o disco é voltado para a mídia internacional, que já abre portas para o grupo. Como prova disso, em agosto de 2011, The Knutz lança o álbum na Europa através do selo alemão ‘AF Music’.

A repercussão internacional da banda se dá em revistas e rádios como na russa ‘Grave Jibes Fanzine’, na inglesa ‘Spider’s Web Zine’, na grega ‘Athens International radio 104.4 FM’, na espanhola ‘Lux Atena Webzine’, na italiana ‘Iyezine’, na polonesa ‘Bat-Cave.pl’, além de ter uma citação no popular site Wikipedia (pt.wikipedia.org). O disco demo, inclusive, ganhou resenha do escritor inglês Mick Mercer e incluiu o grupo em seu livro ‘Music To Die For’.

No Brasil, aparece na revista ‘Dynamite’, num trabalho de alunos de jornalismo da PUC-RJ de nome ‘Bandas sem Fronteiras’ e no programa ‘Globo Esporte’ da Rede Globo.

Já estão disponíveis no site oficial da banda os vídeos dos quatro singles do disco ‘Ghost Dance Party’: ‘The Hanging Man’, ‘Where Are You Now’, ‘Just Be You’ e ‘Ghost Dance Party’ – faixa-título também presente nas alemãs ‘The Smoke and Spotlight Compilation Vol.4’ e ‘Crawling Tunes Magazine’.

The Knutz inicia 2012 cheio de expectativas: o grupo aposta em shows internacionais com um repertório que vai do álbum de estreia e incorpora músicas inéditas, já pensando num próximo trabalho.

Be welcome to the Ghost Dance Party!
www.theknutz.com / contact@theknutz.com


SANATÖRIO S.A


A Sanatörio S.A. nasceu em 2007 como uma banda de Punk Rock. De lá para cá, a banda começou a levar seu som para o rock and roll e faz o que costumam chamar de "punk'n'roll", com influência principal de Misfits, Motorhead, Ramones, Sex Pistols e AC/DC.

A maioria do repertório é composta por músicas autorais; todas com o ódio do punk e a alma do rock and roll clássico.

Sua formação atual

Mixel Makoy: Microfone

Moloko Junkie: Guitarra

Velho Tigre : Baixo

A.J Frank :bateria

Bem vindo ao Sanatörio aqui ninguém está sóbrio !


ROOTS OF HATE




Roots of Hate é uma banda de thrash metal fundada em setembro de 2008 com o propósito de alegrar a galera com covers como PANTERA,SLAYER,SEPULTURA,METALLICA,SOULFLY, entre outras...e tambem fazer musicas com letras que passem uma menssagem para o público.Já temos um EP com 5 musicas gravado em 2009 conteno as faixas?
Hate machine ,slave of war,hell can wait,razors e territory(cover sepultura).
Ja abrimos o show do massacration no All rock point em Caxias, em 2009.
Fizemos show em quase todas as casas de shows de petópolis e fora daqui tocamos em Caxias e Jacaré Paguá.
estamos compondo mais musicas como a mais nova musica THE HUMAN EXSISTENCE, e iniciaremos gravações depois do mes de Julho.

INTEGRANTES:


John Roots:Vocal

Bruno Riz:Guitarra
Contra Baixo:Baltazar
Bateria:Ricardinho

www.mspace.com/rootsofhate




UPSIDE DOWN




Uma banda formada em 2005, por três desses quatro integrantes, durou pouco mais de um ano e deixou neles a vontade de de fazer algo novo. Cinco anos depois veio a oportunidade de colocar aquele antigo projeto pra funcionar. Desde de Junho de 2011 estão ensaiando e se apresentando pra amigos e amantes da música independente de Petrópolis.
A banda tem uma variedade de influências que passa por Defto
nes, Queens of the Stone Age... Até chegar em Los Hermanos, além de outras influências pessoais. Essa variedade de influências é o que inspira cada composição da banda, onde numa mesma música podemos ter vocais limpos e berros com riffs pesados e dançantes.
Com a intenção de se divertir e passar toda a energia do palco pro público a banda está em processo de conclusão das composições de sua primeira demo e enquanto isso continua a disposição pra marcar mais datas e mostrar o que tem de novidade, pois cada em show eles terão algo novo pra mostrar.
Da mistura de riffs pesados com melodias experimentais a Upside Down recebe referências dos mais diversificados estilos, criando assim uma unidade nova. Com essa proposta, a banda vem buscando cada vez mais seu espaço no cenário independente da região serrana.
Bruno Moreno - Vocal
Rodrigo Rood - Guitarra
Rafael Chino (Popo) - Baixo
Fernando Gonçalves - Bateria



NEUTRôNICA



Com o término da ALuz, projeto eletro-acústico formado em Londres, que passou tmb por Madrid , Alex Bello volta da europa e junto com a espanhola Deyanira Garcia e o carioca Jayme Bastos formam em 2009 a banda rock garagem experimental NEUTRôNICA.

Desde o inicio o foco foi experimentar várias formações e sonoridades.

Ser uma banda de músicos itinerantes e identidade livre.


Já fizeram parte do projeto:

Jayme Bastos, Breno Carvalho, Chico Taboas e Peterson Oliveira.

O grupo já participou de vários festivais produzidos pela PETROPOLIS INC Entre eles o Grito Rock Petrópolis 2011, Senso Incomum, Petrorock, Domingo Autoral e Carnaval do Mal. Além do Satanic States of America, Grito Rock Cabo frio 2012 e do Palco Coletivamente de verão.


Nesse momento, o grupo trabalha nas gravações do seu primeiro EP.


Integrantes:


Alex Bello - Vocal Guitarra

Deyanira Garcia - Bateria
Marco de Castro - Baixo


www.myspace.com/neutronicarock



ALBERTO GORGOJO (Madrid)


Nacido en Madrid, España, en 1984. Pertenece a esa generación que de pequeño jugó a las chapas y la peonza, y que según transcurrían los años incorporaba a su realidad la aparición de las primeras consolas, su primer walkman para ir a clase que años después fue un discman, y el boom de los móviles y la llegada de Internet en plena adolescencia. Esta costumbre a ser testigo de los cambios tecnológicos y de la evolución estética y funcional de todos los objetos que nos rodean, unido al hábito y el interés por los museos, las galerías y el arte contemporáneo, desencadenaron en él una fuerte vocación por el Diseño Industrial.

Estudios realizados en Madrid:

  • Ingeniería Técnica en Diseño Industrial en la Universidad Antonio de Nebrija.
  • Modelismo Industrial en la Escuela de Arte Nº12 de Diseño Industrial.
  • Desarrollo y aplicación de proyectos de Construcción en IES Islas Filipinas.

Ha trabajado en diferentes estudios de Arquitectura e Ingeniería en Madrid, así como en dos estudios de Londres, uno de diseño de paisajismo y otro de diseño de producto.


http://www.albertogorgojo.es/


CHARLES FACE (PIAUÍ/SÃO PAULO)


Nascido em Parnaíba no Piauí, recem nascido fui morar em Sp. conheci o skate com 16 anos, a tatuagem aos 22 anos ate chegar no mundo das artes plasticas e desde entao venho graffitando ou fazendo ilustraçoes sempre levando aquilo que sou, o que vivo. um pouco do que curto e o que vejo nas historias que imagino. Sou jucie charlles mas pode me chamar de charles face, convivo entre os becos e mundos suburbanos atualmente trabalhando uma historia em hq.



CINEMA360º

O Cinema360° é um conjunto de ações de exibição e difusão de obras audiovisuais dos mais diversos tempos e gêneros, desde salas de exibição a bares e praças. Em atividade desde 2008, é responsável pela retomada de exibições na galeria do Edifício Profissional, com sessões comemorativas à 1ª exibição de filmes feitos no Brasil ocorrida em 1897 onde antes se situava o Theatro Cassino Fluminense.
Desde 2011, o cineclube vem mantendo sessões mensais regulares na Sala de Cinema Humberto Mauro, em parceria com a Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis com programação de curta e longa metragens dentro de sessões temáticas e com debates com os realizadores após as sessões.
O foco da programação é o Cinema Nacional Independente ou de baixo orçamento, oferecendo ao público obras que geralmente ficam de fora das salas de exibição comerciais locais.
O Cinema360° também é parceiro de diversos eventos em Petrópolis, como o SOLSTÌCIO DO SOM, MOSTRA MINIMALISTA DE TEATRO, GRITO DO ROCK, FESTIVAL INDEPENDENTE DE INVERNO bem como em apresentações do grupo TARUÍRA, do Bloco Carnavalesco FININ D’TU e exposições da SOPEF- Sociedade Petropolitana de Fotografia.
Todas as atividades são gratuitas, sempre
.
Programação:
https://www.facebook.com/pages/Cinema360graus/183414671715996



CONFRARIA DA POESIA INFORMAL
A Confraria da Poesia Informal, como bem traduz o nome, é um movimento descontraído em torno da poesia, fundem agosto de 2011 pela poetisa, produtora cultural e pedagoga Catarina Maul, para reunir adeptos da poesia que não se classificam por idade, linha poética, estilo ou necessidade de ter textos publicados.
Os encontros da Confraria tem sido mensais e o blog do movimento, existente há 10 meses, já teve mais de 47 mil acessos, reunindo cerca de 120 postagens e divulgando mais de 100 poetas diferentes.
O grupo nascido em Petrópolis, conta com participação de poetas do Brasil todo e alguns do exterior, somando 190 membros.
Tem se dedicado a exercitar o potencial de escrever do grupo através de desafios temáticos, sempre publicados no blog.
A edição dos fanzines mensais, assim como a união com outras artes (grafite, pintura, hip hop, fotografia) tem feito da Confraria um movimento popular, dinâmico, jovem e, mais que tudo, informal.

Endereços eletrônicos:
Confrariadapoesianformal.blogspot.com.br
Youtube.com/cpinformal


DIGU HANG (Maringá)



Petropolitano Formado em Cinema e TV em 2007, vem atuando na área do audiovisual desde então.

http://diguhang.blogspot.com.br
http://www.youtube.com/elevaaudiovisual



DIMI LIBERDADE DE EXPRESSÃO
Malabares


EDU PESSANHA

Eduardo de Mazza Pessanha, estudante de desenho industrial e ilustrador, procura sempre aliar os recursos gráficos digitais ao seu traço particular. Mantém uma estética psicodélica sessentista, mas influenciada pelas referências urbanas dos anos 80 e 90. Seus trabalhos são sempre manuais, realizados através de métodos tradicionais de desenho, e algumas vezes finalizados digitalmente.


GUILHERME CONSTANTINO


Meu objetivo principal com esse projeto foi, atingir diretamente as pessoas numa questão pessoal.
Em poucas palavras fazer que elas olhem para dentro delas mesmas ao observar os quadros.
E com isso sintam ao invés de pensar sobre a obra em questão.

guilhermeconstantino@hotmail.com


LUIZ BONSAVER
Malabares


MARCELO ZAZ



MÁRCIO SALERNO

Vou estar lançando um zine chamado OLHARES, DIMENSÕES, REFLEXÕES, além de levar também algumas cópias do VIAJANTE NA BEIRA DO TEMPO, que eu lancei no verão (o outro é do inverno, vou lançar dois zines por ano). Os zines têm, este mais recente, contos, HQs e ilustrações. O anterior tem um conto longo, de ficção científica, mais algumas (poucas) ilustrações.
Também vou estar vendendo telas, desenhos, camisetas (não muitas, umas duas), cartões, incensários. Minha temática, em tudo isso, é soturna, tem a ver com o terror, mas não falo de Jason X Freddy, nada destas babaquices. O terror a que me refiro é psicológico/filosófico, Edgar Allan Poe, Arthur Machen, por aí. Levando em consideração o Tao e a dicotomia Yin-Yang, posso dizer que meus escritos são Yang pra cacete, enquanto minhas pinturas, ao contrário, são bastante Yin, portanto, bem mais sombrias. Mas o Yin está contido no Yang, e vice-versa, portanto, tem a ver com o princípio de dualidade, que é comum a todo ser humano, muito embora talvez 95% da espécie não se dê conta disso.
O pessoal que quiser dar uma prévia nos meus trabalhos (mas são trabalhos antigos, muitos deles já foram vendidos) podem fazer isso através do http://www.marciosalerno.echoz.com/



MARCOS L.BRITTO

A arte não tem a obrigação de ser bela ou de ter um senso decorativo ou estético, que seja necessariamente agradável aos olhos.
Arte é uma outra forma de linguagem, que exterioriza os sentimentos e aspirações mais profundos e leva o observador às veredas do inconsciente, numa abstrata e inédita viagem.A intenção de uma manifestação artística é levar o homem a transpor seus limites mentais, ampliando seus horizontes em busca do inimaginado.

http://brittoartgallery.blogspot.com.br



MATHEUS A.QUINAN

As ilustrações de QUINAN não tem como intenção mostrar a beleza do mundo, nem causar boas sensações. Não se prendem à obrigação de sempre ter um significado concreto, já que suas ideias saem do subconsciente.
Existe uma explicação para um sonho, mas às vezes nem seu próprio sonhador é capaz de compreendê-lo.

http://www.flickr.com/matheusquinan



RENATO RAS

Prático, racional, sensato, disciplinado e organizado, este Capricorniano é um administrador nato e tem uma habilidade organizadora acima do normal. É prático, sabe analisar as situações como se não estivesse envolvido. Inteligente, de raciocinio claro, não gosta de se expor nem que gozem com ele. é uma pessoa de poucas amizades porque não consegue expressar os seus sentimentos. Aparenta ser mais maduro mesmo com pouca idade. Já nasceu com conhecimento da diferença entre o certo e o errado. Decidido a vencer, não mede esforços e nem sacrificios para chegar ao topo. É do tipo que não se arrepende ddas decisões que toma.

Eu busco o confronto com as pessoas ...geralmente elas racham... como vasos trincados ...não suportam o conteúdo....a minha conclusão é de que as pessoas andam muito "fracas" seus tonais não suportam muito ....são rigidos ao extremo , e geralmente quem é complacente é além do ponto.

http://facebook.com/renatorastattoo




RODRIGO HENTER AK47

Rodrigo Henter (vulgo AK47). Criador gráfico por natureza, desenhista por instinto, ilustrador por hobby, designer por formação, grafiteiro por opção, organizado e metódico por doentia compulsão. Nascido e criado na histórica cidade de Petrópolis/RJ, durante a infância sempre optou pelo isolamento em seus desenhos aparentemente "sem pé nem cabeça", ao jogar futebol com os amigos. Admite uma certa dificuldade em trabalhar em grupo, uma vez que sente que vê o mundo de maneira anormalmente destorcida e muito pessoal.
Teve contato com o graffiti e demais vertentes da Street Art de forma mais incisiva durante sua graduação na Escola de Belas Artes da UFRJ. Surtou com esse novo mundo! A liberdade da rua, as infinitas possibilidades de criação e a constante adrenalina da "vida no sereno" fizeram sua vida profissional mudar de rumo ... algumas dezenas de vezes. Tem em seu histórico um punhado de exposições e organização/produção de projetos de arte e graffiti. Cria iniciativas com o propósito pessoal de ganhar experiência, abrir a visão, expandir a mente, sentir medo, desafiar seus limites, evoluir fisico-mental-espiritualmente, colaborar com o coletivo, instigar a revolução íntima de cada indivíduo.
Exagerado por vício nativo, é adepto do comportamento "8 ou 80", e frequentemente leva seus atos ao extremo ... visando concretizar sonhos que não admite serem inalcançáveis. Exemplo disso foi largar tudo pra trás em 2010 e partir sozinho para NYC (sem dinheiro, moradia, amigos nem emprego) simplesmente para buscar na "Cidade Que Nunca Dorme" o que sentia ser seu destino: imprevistos e incertezas. Depois de alguns meses nos ghettos berço do graffiti, debaixo de neve, não era mais o mesmo ... como disse Einstein: "Uma mente expandida nunca mais volta ao seu tamanho original."
Hoje é um dos sócio-fundadore de um Laboratório Criativo (a Webra Creative Lab), toca projetos gráficos diversos com seus sócios-irmãos e passa a maior parte do tempo desenhando em papéis amassados, pintando muros com latas de spray, conversando com os cachorros da rua, e inventando projetos independentes de graffiti. A hiperatividade não permite o ócio ... a pressa de viver mais é sempre maior!

www.facebook.com/RodrigoHenter




SANDRA VISSOTTO

Sandra Vissotto atualmente mora em Petrópolis (RJ), tem 35 anos de carreira, e uma característica que acompanha sua trajetória, é a diversidade na escolha de temas e no uso de variadas técnicas. Já expôs suas obras em mais de 50 salões, mostras em diversos estados brasileiros. E já foi conselheira do segmento de Artes Visuais do Conselho Municipal de Cultura de Petrópolis (RJ), coordenadora do Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul (Marco) e da Galeria de Arte do banco Itaú em Campo Grande.


SUNK




ULYSSES AUGUSTO





VICTOR MONTES SILVA


Artista apaixonado pelas várias vertentes da área, que consegue sair de uma mídia clássica como tintas e pincéis, para o spray em paredes, ou ilustrações e pinturas digitais sem grandes dificuldades, alguém que ama o que faz, e disposto sempre a evoluir e aprender mais.
www.lokalstudio.org


VOOR PRODUCCIONES (Madrid)

http://voor-producciones.blogspot.com.br


Ingressos antecipados R$ 10,00
na porta R$ 15,00


29 DE JULHO
Estúdio S 15:00 hrs

O VAZIO (Nova Friburgo)

João Leonardo “o Vazio” de Almeida é cantor e compositor e já tem quase quinze anos de estrada desde que vendeu sua alma ao Rock and Roll. Começou como baixista do conjunto Um Dia Além do Grito (Nova Friburgo), que esteve circulando entre 1998 e 2000. De 2000 a 2006, foi o vocalista da Escola de Livre Expansão do Pensamento (ELEPê), banda carioca de rock psicodélico autoral, de característica “sessentista”, que se apresentou na capital fluminense muitas vezes, inclusive em lugares como o Circo Voador, o Teatro Casagrande, o Espaço Sérgio Porto, o Armazém 5 do Cais do Porto, a Fundição Progresso, Baratos da Ribeiro, festivais, diversas praças, Universidades (UFRJ, UNI-Rio, UFF, UERJ, PUC-Rio, UFRRJ) e em outras capitais, como Salvador, Curitiba, Belo Horizonte e Porto Alegre, deixando como legado um álbum homônimo de nove músicas, lançado em 2006. De 2004 a 2007, foi vocalista e violeiro da banda de rock Sr. Maquinário, conjunto de rock blueseiro que se apresentou na cidade do Rio de Janeiro, em diversos lugares e publicou um EP de quatro músicas, que levou o nome do grupo. Em 2006, foi vocalista do Circo Fantasma, conjunto de rock progressivo independente, também do Rio de Janeiro. Em 2007 e 2008, fez apresentações tocando blues e folk rock junto com o guitarrista e compositor Daniel Mandur, em eventos públicos, exposições artísticas e rádios de Nova Friburgo RJ e da capital do estado, trabalho este que levou o nome Mandur & o Vazio e deixou também um EP. Entre 2010 e 2012 foi integrante do conjunto independente Folhas no Quintal, de Nova Friburgo, que construiu – com viola caipira e violoncelo – uma estética de folk rock diferenciada, abrasileirada, apresentando-se constantemente por toda a região e atraindo ótimas críticas e muitos fãs.
Além de sua experiência no palco em diversas vertentes e estéticas sonoras cabíveis ao rock, produziu e publicou independentemente um disco de poesias acompanhadas por trilha sonora, chamado Poesia para Cegos (do olho e da alma) (2007-2008), do qual veiculou cerca de 500 cópias. Em 2010, gravou um novo disco, instrumental e experimental, chamado Isaac Newton no País das Maravilhas, lançado em 2011, na segunda edição do evento "Serra Elétrica Apresenta", produzido pelo coletivo Serra Elétrica, de Nova Friburgo, e que já tem também diversas cópias circulando e muitos downloads.
Desde 2007, vem desenvolvendo paralelamente um trabalho solo, em algumas apresentações nas quais atuou com diversos músicos, o que culminou neste presente conjunto, que leva o seu nome: o Vazio. Trabalho esse que é marcado por uma pegada mais "Stoner”, onde podemos encontrar uma maioria muito expressiva de músicas próprias, antigas e recentes, mas também alguns covers ocasionais de bandas como The Rolling Stones, The Doors, The Beatles e Os Mutantes, sempre seguindo essa linha de Rock and Roll clássico, com performances marcantes de palco onde há recital de poesias, improvisos, teatralidade e execuções viscerais. O Vazio é um conjunto que conta, além do próprio João Leonardo (nos vocais), com ERICK ELLER na guitarra, BRUNO ELLER no baixo e YANN STANÍZIO na Bateria, para acompanhá-lo na execução de um rock enérgico, criativo, irreverente e bem elaborado, de modo que a banda tornou-se a principal referência de conjunto independente de rock com trabalho autoral de Nova Friburgo. O grupo está agora lançando o EP intitulado Todo Caminho é só de Ida, como início de uma campanha de financiamento coletivo que visa angariar recursos para a produção de um novo álbum, chamado Quem tá no Rock é pra Isso.

Integrantes:
o Vazio - Voz.
Erick Eller - Guitarra.
Bruno Eller - Baixo.
Yann Stanízio - Bateria


www.comoencontrarovazio.blogspot.com.br



MAURÍCIO LAGO




MUNDO ÁCIDO (Rj)


“Mundo Ácido” é o estado de conservação que se encontra o planeta hoje em dia, resultado de muitas décadas de exploração humana e da natureza. Esse é o ponto de vista dos integrantes e de qualquer pessoa no mundo inconformada com as injustiças vistas todo dia. Essa realidade se reflete nas composições da banda, tanto nas letras quanto na sonoridade. Para criar esse ambiente ácido, esses conceitos vêm acompanhados de uma sonoridade não convencional. Essa mescla de ritmos tocados com uma pegada rock 'n roll, cria uma identidade própria e uma concepção de música alternativa. O grupo é formado por Pedro Loty na guitarra e voz, Nilo no baixo, Paulo Medeiros na bateria e Pedro Montano nos efeitos, teclados e backing vocals. Apesar de serem amigos há muito mais tempo, o “Mundo Ácido” só tomou forma no começo de 2007 e agora começa a gravar seu primeiro disco. As letras atacam por todos os lados através de metáforas e de ironia, mostrando que pode-se falar de temas sérios sem perder a alegria. O som é uma mistura de influências de cada integrante, rock, reggae, samba, música eletrônica , música regional e psicodélica se misturam nas músicas. A banda abusa de efeitos como delay, distorção, chorus, flanger e reverb nos instrumentos e usa um controlador de instrumentos virtuais que ,com timbres modernos, ajuda a criar a atmosfera da banda. A guitarra ataca de acordes dissonantes e muito noise, sempre voltada para o experimentalismo nas canções, deixando em evidência o groove do baixo e da bateria. Nesta concepção musical um ruído pode valer mais que um acorde perfeito e uma nota mais que uma escala.

http://soundcloud.com/mundoacido



CARDIÓIDES (Magé)


Radicada em Magé, Baixada Fluminense, RJ, a banda está na ativa desde 2007, com a sua segunda formação, e vem pouco a pouco se firmando no cenário do pop rock nacional, com boas aparições na grande mídia (Atitude.com da TVE, TV Cultura, Canal Brasil, WTN Show do cantor Vinny, diversas TVs e rádios na baixada e região serrana do RJ, entre outros canais de comunicação). Já tocou fora do estado e fez shows de abertura de grandes bandas, sendo o principal deles do NX ZERO.

A banda tenta criar um universo sonoro particular, que transcenda estilos, sem preconceitos, tratando cada música com um clima particular. A proposta é simples: sem exageros, sem modismos, apenas Rock, com todas as formas e metamorfoses que lhe são características.

http://www.myspace.com/cardioides



DISTRITO ANONIMO

A banda começou em setenbro do ano passado (2011) com o repertorio voltado a musicas nacionais dos anos 80 e 90. Com a formação de Janderson no vocal , Thiago Sudré na Guitarra , Gabriel Ribeiro no contra-baixo e Lucas Martins no teclado , realizaram um evento no centro de cultura ,chamado "Musica para Todos" .Onde no evento tiveram a participação do baterista Yago Freitas .Em outros eventos Yago tambem partocipou , como no bar "bentita garrafa" e novamento no centro de cultura .Até entrar o Dyego scardin na bateria .
Eles ensaiam dia de semana na casa do lucas , sem a bateria , e nos finais de semana ensaiam no estudio , com a bateria.

Formação atual
Janderson - vocal
Thiago Sudré - guitarra
Gabriel Ribeiro - contra-baixo
Lucas Martins - teclado
Dyego Scardin - bateria



5 DE AGOSTO
Estúdio S 15:00 hrs

CONTROLE


Formada no início dos anos 2000, a Controle é uma banda de hardcore, cuja formação atual conta com Leo na guitarra, daniel no baixo, Luan no vocal, alex na bateria e gustavo na guitarra e vocal. Atualmente a banda está em fase de produção do novo cd.


DIAS DE GUERRA (Rj)

Dias de Guerra é uma banda de Hardcore da periferia do Rio de Janeiro, com a proposta única de fazer um som oldschool sem devaneios e nem demagogia. Expondo nossa realidade através de mensagens, ideias, acordes e palavras... Nunca derrotados, e verdadeiros acima de tudo.

Michel - Vocal

Rafael - Guitarra
Bruno - Baixo
Alex - Bateria





DRAMA (RJ)



A conexão entre o rock e o eletrônico, amps valvulados e sintetizadores virtuais, transgressão e transcensão. A DRAMA une elementos de influências diversas , mas com raízes no rock industrial disseminado por bandas como Nine Inch Nails e Ministry. Formada no Rio de Janeiro em 2006, a encarnação atual da DRAMA conta com Eddie Torres (vocal, programação), Kevyn Buhr (guitarra), Bruno Hage (baixo) e Luca Shirru (bateria).

Com 2 demos lançadas virtualmente nos anos de 2007 e 2009, a DRAMA reúne um repertório vasto e diversificado, tendo conseguido emplacar “hits” na cena underground como as músicas O Monstro, bastante executada em webradios do Brasil e exterior e Ojeriza lançada na coletânea internacional Harmonia Mundi pela gravadora alemã Danse Macabre Records, a convite de Bruno Kramm, proprietário do selo e fundador de uma das bandas pioneiras do gótico-industrial - Das Ich.

Ao vivo executam todas as ambiências criadas em estúdio com a ajuda de samplers e bateria eletrônica, mas com o punch de uma banda de rock, cujo único compromisso é a catarse do público. O presença e a energia no palco são marcas inconfundíveis da Drama.

Atualmente estão reunindo uma coleção de canções inéditas e releituras de composições anteriores para o seu primeiro CD, já batizado de Dramática a ser lançado ainda em 2012. Nos shows, mostram um pouco do que pode ser o futuro álbum e um pouco de Zé do Caixão, Freddy Krugger, Eric Draven e Pink Floyd. Ouça sem medo!

http://www.bandadrama.com.br
http://www.facebook.com/pages/Drama/171158425083
http://www.youtube.com/user/bandadrama
http://www.reverbnation.com/bandadrama
http://www.myspace.com/dramadark




BR69
(Rj)



No ano de 2002, enquanto o Lula tomava posse da Presidência na Esplanada brasileira, quatro rapazes do Rio de Janeiro resolveram montar uma banda de Rock. Isso mesmo: Rock. Não o Rock colorido, apático e pré-fabricado que se ouve nas esquinas de qualquer metrópole condenável do Brasil. Era pra fazer Rock mesmo: petrificável, verdadeiramente sólido e compatível com a estética dos grandes mestres.
O intuito não foi módico: produzir música que representasse aquilo que a música um dia havia sido. Simples assim. Antenados às mais antigas tendências amplificáveis do momento, como o extinto Chess Records e os discos produzidos pelo maestro Duprat, cada integrante do grupo trouxe um diferente prato à mesa. Com inspirações que iam de Muddy Waters aos Beatles, Rolling Stones ao Mutantes, a banda BR69 foi aos poucos se moldando — mastigando os diversos tipos de som que lhes atingiam os ouvidos. Os festivais de colégio rapidamente viraram concertos na Inglaterra no renomado Beatle Week, e assim por diante.
A banda, enquanto se estabelecia, conseguiu criar uma identidade própria, aprimorando-se tecnicamente a cada show e ensaio. Trilhando o tortuoso caminho do Rock brasileiro, com tempo, rigor e dedicação a BR69 conquistou plateias do sudeste do Brasil, fazendo shows no estado de Minas, Espírito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro. Com um som agressivo e de violência sônica, letras satíricas e duras inspiradas em métricas dos grandes bluesmen's norte americanos — e claro nos mestres letristas brasileiros; composições ousadas que resgatam uma aura já perdida da guitarra elétrica, a BR69 marcou seu território. O grande marco obviamente tinha que ser a gravação do disco "Solta o Preso" em 2011. Com Alexandre D'Angelo no vocal, Felipe Carvalho na guitarra, Luiz Borges no baixo e Gustavo Azem na bateria, a BR69 veio para mostrar que se o Rock estiver morto, o show vai ser no inferno.

www.oinovosom.com.br/br69
www.formspring.me/BR69



ELETROCÍDIO

Formada em 2009 pelos amigos Victor,Rafael e Dante, a banda é conhecida pelo rock pesado e por fortes poesias.O primeiro álbum da banda, melancólico e emblemático Absinto terá lançamento virtual em junho de 2012 mas já dá pra ter uma prévia com a música Grafite Preto e Branco que já circula nas rádios.

Ingressos antecipados R$ 7,00
porta R$ 10,00




12 DE AGOSTO

Estúdio S 15:00 hrs

LIMUSINE CARIOCA (Rio)



"A Limusine Carioca leva suas canções contagiantes a todos os cantos por onde passa desde 2008, com espetáculos de rock para todos os públicos.

As apresentações, marcadas pela transparência dos roqueiros, letras bem-humoradas, arranjos contundentes e performances arrebatadoras, são a tônica do conjunto, que já que soma mais de vinte e cinco mil reproduções na internet.

Formada por Rafael Caldas (guitarra e voz), Nando Medeiros (guitarra e voz), Vini Machado (contra-baixo) e Ivan Cascon (bateria) e apaixonada pelo Rock de Raiz, apelido carinhoso dado pelo quarteto à fase em que o gênero mais se aproximava do blues, a banda também reverencia suas influências em versões ao vivo de tirar o fôlego.

Dois anos depois do lançamento do primeiro EP – “Rua sem saída” (2010) – os cariocas se preparam para lançar, ainda em 2012, o tão esperado CD de estreia."


http://www.myspace.com/limusinecarioca



CHINESE COOKIES POETS (Búzios)


Lançado pelo selo paulista Sinewave, o primeiro álbum dos cariocas do Chinese Cookie Poets possui 11 faixas, todas produzidas pelos três integrantes — com exceção de “Discipline and Manners”, que traz a participação ilustre do compositor, músico e produtor Arto Lindsay (voz e guitarra). A arte ficou por conta de Thiago Modesto (também responsável pelas capas do Sobre a Máquina) e a masterização por Takayoshi Manabe.

Worm Love é o resultado mais arrojado do Chinese Cookie Poets, pois trata-se de um disco cujo método de composição é efeito da própria contingência da música de improviso. Nele o esforço foi desenvolver uma técnica de improvisação da improvisação, abrindo-se um espaço contingente enorme no processo de edição, que embora consciente e prognóstico, não pode assegurar o resultado, analogamente ao experimento de um químico que tenta se cercar de todas as variáveis de uma experiência.

Gravado ao vivo no estúdio Audio Rebel em uma única sessão de 40 minutos, as faixas foram editadas a partir desse material. Eles começam numa sessão de improviso, avançam em direção a uma composição que resulta de um processo posterior de edição radical em estúdio, e culminam na apresentação ao vivo que é uma espécie de síntese do processo criativo deles, onde executam o resultado, que nunca é exatamente o resultado do processo de edição.

O CCP é o tipo de coisa que poderia ter surgido em qualquer parte do mundo, e a antropofagia é um conceito periclitante no caso desses caras. Eles são universais mesmo, não devem nada às referências que inspiram seu som, nem devem se ocupar de um complexo de acabamento. São incríveis, vigorosos e novos!

http://www.myspace.com/chinesecookiepoets



DRENNA
(RJ)


Nascida e criada no Complexo do Alemão, onde a violência e o tráfico faziam-se presente, desde pequena sempre gostou de música, mas só começou a levar à sério mesmo, quando teve a oportunidade de estudar violão no SESC de Ramos . Depois, aprofundou seus estudos em guitarra na Escola Estadual de Música Villa-Lobos - RJ. Poderia ter se encantado com qualquer estilo musical, mas a sua opção foi o rock , mostrando que não é somente Funk e Samba que podem surgir nas comunidades cariocas.
Com um Pop Rock bem orgânico, a cantora e guitarrista DRENNA, compõe, canta e envolve o público com seus solos de guitarra. Seus shows se destacam pelo seu estilo de cantar e tocar – presença marcante, de atitude rocker no palco. Tem viajado pelo Brasil inteiro levando suas próprias músicas, mescladas com repertório de releituras de clássicos do Rock, participando de diversos eventos, como encontros de Moto Clubes, exposições agropecuárias e no final de 2011, foi uma das atrações da virada de ano na enseada da Praia de Icaraí, em Niterói-RJ.
Drenna é uma das grandes revelações do cenário rock nacional, com mais de 100 apresentações anuais, em todas as regiões do país. Das capitais ao interior, passando por São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás, Pernambuco, Mato Grosso , Paraná , Santa Catarina e Bahia , faz sucesso por onde passa. Já percorreu casas tradicionais de sua cidade (RJ), dentre elas Teatro Odisséia e o lendário Circo Voador.
A marcante energia nos palcos já foi transmitida em diversos festivais, tais como Grito Rock, Festival de Rock Feminino, em Rio Claro - SP ,Festival de Inverno Petropolis INC ,em Petropolis , Alambique do Som, em Barbacena – MG, BH Indie Music , em Belo Horizonte . Também foi atração na festa de aniversário de 10 anos do site IMUSICA, principal site de downloads de músicas da América Latina. Participou do programa de Web TV Sarau Eletrônico, com apresentação do vocalista Tico Santa Cruz da banda Detonautas Roque Clube e do compositor e cantor Glad Azevedo, em Outubro de 2009 (http://www.youtube.com/watch?v=KF6J_8oTPR0) , assim como do Canal de WEB TV da OI NOVO SOM . Em 2010, participou da 50° Feira da Providência, tradicional feira realizada no Centro de Convenções do Rio-Centro, no Rio de Janeiro-RJ, no palco da Rádio Transamérica FM.
Seu primeiro trabalho autoral, produção totalmente independente e financiada pela própria, Drenna escolheu o Estúdio Observatório de Ecos, do músico e ativista social Marcelo Yuka, para realizar o seu projeto. Acompanhada de um time de peso, o disco, com produção de Fred Inglez, tem duas participações mais que especiais: além do próprio Fred, que assina a guitarra na faixa “Então me diga”, Marcelo Yuka participa com o teclado em “Gelo Coração”. Este CD já ultrapassou a vendagem e distribuição de 4 mil cópias. O próximo será produzido, musicalmente, por Carlos Savalla.
Além de Drenna na guitarra e vocal, a banda conta com Rodrigo Pex na segunda guitarra, Roberto Maná no baixo e Milton Carlos na bateria.
Para conhecer mais dessa cantora acesse www.drenna.com.br.




FOG SESSION

Somos uma banda formada entre a neblina da serra petropolitana e as influências do grunge, hard rock, metal e blues.

Emanoel Taboas - Vocal,
Rodrigo Buzum - Baixo,
Dudu Hutter - Bateria,
Igor Gomes - Guitarra,
Paulinho Carvalho - Guitarra



LOUH MARQUES


SOBRE MIM BASTA SABER APENAS UM POUCO, MAS PRINCIPALMENTE, QUE MÚSICA É MEU OXIGÊNIO!!!
O MEU SOM, HORA IRADO, IRÔNICO, AGRESSIVOU OU DOCE É UMA MISTURA DE ELEMEMTOS DE VARIADAS NUANCES DO ROCK: CLÁSSICO, HARD, ALTERNATIVO, GÓTICO; PRIMEIRO CD INDEPENDENTE EM FASE DE PRODUÇÃO COM DIREÇÃO MUSICAL DE GABRIEL TAUK É DESPRETENCIOSO, PORÉM CARREGADO DE PAIXÃO E SEDUÇÃO, SEM AFETAÇÃO.
BOM MÚSICO PRÁ MIM NÃO TEM QUE SER NECESSARIAMENTE VIRTUOSO, MAS SIM, TEM QUE ME FAZER SENTIR TESÃO DE ESTAR DIVIDINDO O MEU ESPAÇO COM ELE; ACREDITO NA QUÍMICA. ESTOU SEMPRE ENVOLVIDA COM BONS PROJETOS, PARALELOS.
FUI ESCOLHIDA PELO ROCK HÁ MUITO E SOU GRATA POR ISSO.
O ROCK PODE SER VISTO EM MIM INTEIRA. ELE RESPIRA E É A MINHA VEIA. NÃO FAÇO IDÉIA DO QUE SERÍA MINHA VIDA SEM ELE!!
!


Ingressos antecipados R$ 7,00
porta R$ 10,00





19 DE AGOSTO
Estúdio S 15:00 hrs

MARTIATAKA (Juiz de fora - MG)



Tudo começou como deveria ser com toda boa banda de rock: no bar. Das mesas cheias de garrafas vazias, eles foram para o estúdio e, do estúdio, para os palcos e, dos palcos, para a boca do povo. Nascia o MARTIATAKA. E crescia. O quinteto estreou em abril de 2001. Depois de ganhar manha nos palcos das festas universitárias e bares de Juiz de Fora, naquele mesmo ano, lançou seu primeiro CD demo. Aí veio o segundo, e depois o disco de estreia, mais um EP, outras cidades, outros festivais, outros integrantes, participações em coletâneas, mais um disco e outro EP e outro disco e um merecido lugar de destaque entre as mais atuantes bandas de rock do cenário independente de Minas Gerais.


Desde as primeiras demos, cujas músicas foram rearranjadas para o álbum de estreia, “Rockæ Roll Combustível”, de 2005, produzido por Zé Felipe (baixista do lendário grupo carioca Zumbi do Mato), a vocação do MARTIATAKA estava clara: rock tradicional, despudorado, turbinado por riffs incandescentes e refrões poderosos, bêbado de referências engarrafadas nos anos 60, 70 e 80, safras que foram despejadas em um único barril, fermentando ali a agressividade do punk e o feeling do blues, o hard rock setentista, o heavy metal de primeira hora e o BRock oitentão, sempre reverenciando, jamais copiando.


Com o primeiro disco oficial, abriu-se também a cancela para a estrada. A banda colocou o clipe do single “Asas” na MTV, ganhou destaque com sua música em sites importantes do meio independente, como Dynamite e Senhor F, e rompeu os mares de morros de Juiz de Fora para também incinerar palcos do Rio e de São Paulo e de Belo Horizonte e de Curitiba e por aí foi. Entre tantos outros, dividiu noites com Autoramas, Lobão, Cachorro Grande, Wander Wildner e Marcelo Nova – que acabou levando o baixista Jim Salomão para fazer com ele alguns shows -, participou de festivais e, enquanto isso, não parava de produzir novas músicas.


Com o EP “Trindade”, de 2006, produzido por Jimmy London (vocalista do quarteto carioca Matanza), o MARTIATAKA consolidou sua identidade, confirmada com o CD “À moda do caos”, lançado em 2009, um álbum composto por dez explosivas canções sobre amor, ódio, sexo e perdição. Em 2010, sem dar tempo para que a poeira pouse sobre os ossos e o espírito se acomode, a banda colocou nas ruas e nos palcos mais três canções inéditas a bordo do EP “Karma, baby!”. Em 2012 veio o quinto lançamento, “Marginal”, um álbum cujo nome de batismo reafirma a posição de uma banda que, mesmo correndo à margem da grande mídia, sobre os escombros do lixo cultural, mantém há mais de uma década uma carreira consistente e permanentemente faminta de estrada e rock and roll.


www.martiataka.com




PRIMÍCIA (Cabo frio)



“Cabo Frio gosta de som pesado. De lá que vêm a Primícia, que com menos de um ano de formação já tocou em todo o Rio e está indo para outros estados, impulsionado pelo clipe de ‘Siga o Coelho Branco” (O Globo, 2011)
“Fruto da dedicação pelo sonho de viver do que mais amam, o rock” (Folha dos Lagos, 2011)
“A primeira banda regional a conseguir tamanha repercussão” (Folha da Manhã, 2011)
Um turbilhão de bons acontecimentos têm levado a banda Primícia, de Cabo Frio (RJ), a ser uma grande revelação do rock do Rio de Janeiro.
Sua sonoridade única mescla guitarra de Metal, bateria de Punk/Hardcore, vocal de Hard Rock e baixo de Grunge, e letras poéticas em português. Destaque para o contágio de presença de palco. Músicas autorias como “Gêmeos”, “Gris”, “Metamorfose” e “Siga o Coelho Branco” são algumas que não podem faltar num set list de um bom show de Rock!
Em 2010, depois de lançar seu single e clipe ‘Siga o Coelho Branco’ na MTV Brasil se tornou uma grande promessa. Completados dois anos de formação em maio de 2012, a Primícia já tocou nos principais palcos do Estado do Rio de Janeiro e na capital capixaba, Vitória (ES), e neste ano de 2012 já tem agendado shows nos estados do Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina e na capital Brasília.
Primícia, de primeiros frutos, lança seu primeiro EP “Siga o Coelho Branco” lançado em agosto deste ano em cinco cidades do Estado: Cabo Frio, Macaé, Conceição de Macabu, Petrópolis e Rio de Janeiro. E em outubro seu segundo clipe, ‘Gêmeos’, estréia na MTV Brasil e Multishow.
Vale destacar também seu material midiático, onde todos os shows da banda são filmados e fotografados e inseridos nos canais da banda: Youtube (/primiciaoficial) e Facebook (/primiciaoficial). Muito mais podem ser encontrados no site oficial da banda: www.primiciaoficial.com.br.
Integrantes: Thuany Motta (vocal), Allan Alves (guitarra), Oacir Ferreira (baixo) e Israel Estevam (bateria).



A.D.D.

Loan Tammela - Vocal e Guitarra
Nicolau Bezerra - Baixo
Ian Guidini - Guitarra
Matheus Zanatta - Bateria

Somos banda há 3 anos, temos 2 músicas gravadas, mas em torno de 15 de nossa autoria.



REVERDORE ACÚSTICO

Reverdore [rock, música e histórias]

• Thiago Gomes - Vocal.
• Anderson Cavalcante - Bateria.
• Rodrigo Buzum - Baixo.
• Igor Gomes - Guitarra.

_foi em março de dois mil e quatro que a banda começou.
_outubro do mesmo ano lançamos um cd demo com doze faixas.
_em dois mil e nove lançamos um ep produzido pelo produtor Gargamel e estúdio 'fabrika de sons' com três músicas.
_nos apresentamos no rio de janeiro e em petrópolis entre dois mil e quatro e dois mil e dez.
_em dois mil e onze a rádio tribuna fm passou a tocar duas canções da banda, 'entre eu e você' [faixa do ep 2009] e 'ter alguém' [single lançado em 2010]
_este ano de dois mil e doze está previsto o lançamento de mais um EP, 'os três últimos dias do inverno'. serão três faixas: 1.Lha [intro], 2.o palhaço, 3.dizer e ouvir.
_esta previsto para o ano de dois mil e treze o lançamento de um disco de inéditas.

reverdore. [2012]

www.soundcloud.com/reverdore
www.twitter.com/reverdore
www.facebook.com/reverdore
www.youtube.com/reverdore


AZIMECH


A banda teve seu início em de junho de 2010, quando os músicos João Braz (Guitarra e Vocal) e Johnnathan Libonati (Bateria) iniciaram o ambicioso projeto de trazer um novo som para a cena musical em Petrópolis. Com influencias que agradam um grande público, a dupla iniciou seu trabalho, mesmo com a banda incompleta. Em pouco tempo, os ensaios com covers de Creed, U2 e principalmente Red Hot Chilli Peppers chamou a atenção de outros músicos. Enfim a banda estava completa.
Formado o trio em 2011 a banda encontrou um nome que descreveu bem seus pretenciosos integrantes: Azimech, nome árabe que significa “A elevada”.
Com intensa busca por um bom trabalho e seriedade a banda se apresentou em shows e festivais musicais na cidade de Petrópolis, até que no final do ano de 2011, começou a mostrar seu objetivo, a gravação de seu trabalho próprio. Com seu rock alternativo a banda tem a intenção de apresentar um som diferente e original, mas que, não se desvincule do bom e velho Rock.
Em 2012 à Azimech continua em processo de criação, porém com a perda de seu terceiro integrante, a banda volta à formação original com apenas dois membros, que decidiram não ficar parados por isso. Os músicos explorando seus recursos artísticos montaram um projeto acústico com João Braz (Vocal, Violão e Piano) e Johnnathan Libonatti (Vocal, Violão, Baixo e Percussão) tocando suas próprias músicas e covers de suas principais influências.


http://www.facebook.com/bandaazimech.alternativo


Ingressos antecipados R$ 7,00
porta R$ 10,00





FESTIN - II FESTIVAL DE INVERNO INDEPENDENTE


Apoio:
BPartes, Hypnotic, Mercúrio comunicação visual, Supremma comunicação visual, Reibrindis, Arte e rua, Eleva, Estúdio S, Leo Luthier, Grupo Solsticio, Confraria da poesia informal, Cinema360°, Lokal Studio, Apes, Feeling, Tomate Seco, Vortex, Serra Elétrica, Juventude Rock, Savana, TV Vila Imperial, Bem Cultural, Programa Plataforma, Falando Sério e CMJ.

Realização:
PETROPOLIS Inc

Nenhum comentário: