.

.

15 de mai de 2009

[AÇÃO] Grécia - Fascistas não passarão!

Em 8 de maio, mais uma vez, o centro de Atenas viu claramente a cooperação entre os fascistas e a polícia grega.]

Ante a concentração fascista na Praça Omónia, se organizaram três concentrações diferentes em vários pontos pelo centro de Atenas. Uma na rua Menandru pelo grupo Y.R.E. (Youth Against Rascism in Europe), outra na Praça Kotziá pelos grupos Antarsya, EEK (esquerda anti-parlamentária) e outros sindicatos de base, e a terceira na Praça Káninggos por grupos anarquistas. Os objetivos eram a suspensão da manifestação-concentração de cunho fascista.

As pessoas iniciaram a concentração na Praça Eksárjia para depois seguirem juntos até a Praça Kánniggos. Entre cerca de 400 pessoas com gritos, faixas e alguns com máscaras, paus, capacetes etc., pois estavam preparados para uma reação violenta da polícia, saíram da Praça. Logo à frente um contingente policial muito grande nas ruas ao redor do bairro de Eksárjia e fascistas cercando os manifestantes em motos (um deles fugiu jogando-se na calçada e correndo dos manifestantes) enfim, chegamos a Praça de Kániggos. Alguns camaradas que faziam a vigilância dos manifestantes saíram feridos, como era de se esperar.

No entanto, até aquele momento nada mais atrapalhou a manifestação. Não havíamos nem andado 20 metros, quando a polícia antidistúrbio e a equipe Delta (emparelhada em motos) aparecerem na rua Akadimias e nos atacaram com grande quantidade de gás lacrimogêneo, a ordem era clara: não nos deixar chegar à Praça Omônia

As pessoas se separaram graças ao tumulto. Muitos se dirigiram até a praça de Eksárjia, uma 200 pessoas entraram na Escola Politécnica onde “moscaram” por 3 horas, já que a polícia havia bloqueado tosas as ruas ao redor da escola.

Enquanto isso, na Praça Eksárjia, com barricadas e pedras, tentando manter o cerco policial distante. Durante 3 horas, ocorreram ataques e retiradas nas ruas do bairro.

A manifestação dos esquerdistas, com mais ou menos 1000 pessoas, se inteiraram a cercar a Praça de Omônia, e também sofreram repressão policial. Na rua Menándru, umas 150 pessoas do Y.R.E. tentaram defender o edifício do antigo Tribunal local, o qual está ocupado por imigrantes.

Já os fascistas, por volta de 150, foram tomar a Praça Omônia pela manhã e atacaram inúmeros imigrantes, sempre com a permissividade da polícia, que os deixavam muito bem “protegidos” para baterem em quem quisessem! Um grupo antidistúrbio com furgões e motos havia bloqueado totalmente o acesso à Praça. No entanto, de manhã como à noite, nos metrôs, eles já eram esperados por grupos antifascistas...

De tarde, iniciou-se a manifestação dos fascistas, que ao passar pelo antigo Tribunal, atacaram com pedras imigrantes e grego que estavam lá para protegê-los. A cooperação entre a polícia e os fascistas é muito clara! Pois temos inúmeras fotos que demonstram esse absurdo!

De noite, os esquerdistas conseguiram chegar à Praça Omônia. Em uma assembléia feita na Praça Eksárjia, os 200 companheiros cercados já haviam saído da Escola Politécnica, ainda que a polícia tenha conseguido pegar alguns poucos, decidimos continuar e chegar onde os esquerdistas estavam, para juntos nos dirigirmos ao Tribunal Antigo. Entre discursos que duraram bastante tempo e sem iniciativa alguma, finalmente saímos, por volta de 200 pessoas mas, de imediato iniciaram novos distúrbios com os MAT na rua Zemistokleús, que haviam bloqueado as ruas antes da praça Omônia, com barricadas, coquetéis molotov e pedras. Finalmente nos retiramos de novo para a Praça Eksárjia, onde a manifestação se dissolveu.

É importante destacar o papel de vários jornais televisivos que falavam que "cidadãos” gregos se manifestavam contra os “imigrantes ilegais”.

Policiais – Fascistas – Meios de Comunicação: Todos os bastardos trabalham juntos!

Vídeos e fotos da cooperação entre a polícia grega e grupos fascistas: http://athens.indymedia.org/front..php3?lang=el&article_id=1027246

Tradução > Palomilla Negra

Fonte: ANA - Agencia de noticias Anarquistas

Nenhum comentário: