.

.

6 de ago de 2009

[NEWS] Caminhos da Cecília





Mais de 113 anos depois da fundação da Colônia, os caminhos trilhados pelos pioneiros anarquistas passaram, desde 26 de julho do ano passado, a alimentar o turismo sustentável de Palmeira. Numa iniciativa da prefeitura do município, foi lançada a rota turística Caminhos da Cecília. "Palmeira faz parte da rota estadual dos tropeiros, que passa por 16 municípios. Mas a história da Colônia é um diferencial nosso", comenta Vera Mayer, da Secretaria de Cultura, Turismo e Meio Ambiente.


Moinho do Cantagalo

Além de contar com pousadas e restaurantes, o itinerário abrange construções remanescentes do período em que os anarquistas viveram na região, como o Moinho do Cantagalo e a casa dos Mezzadri, onde funcionará uma espécie de museu. "A Colônia não é conhecida nem valorizada. A rota servirá para resgatar nosso orgulho por ela", diz Carlos Mezzadri, para quem a iniciativa é uma oportunidade de reavivar a saga dos colonos que trouxeram para o país os ideais do anarquismo.

Outro atrativo do trajeto é destacar a presença de outros grupos de imigrantes europeus que colonizaram a região, como os poloneses e os russo-alemães (alemães que imigraram para a Rússia no século 18 e lá viviam em comunidades isoladas), que contam com museus próprios.

Casa dos Mezzadri

Desde 2002, o turismo rural tem revelado bom retorno e, por essa razão, vem recebendo mais atenção do poder público e contando com investimentos maiores, principalmente no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. A expectativa é que a exploração turística da Colônia, aliada à preservação histórica, possa atrair mais visitantes. É o que pensa Eliana Carvalho, que conclui o curso de turismo na Faculdade Opet, no Paraná, com um trabalho sobre a rota. "Waterloo, na Bélgica, é um bom exemplo de turismo histórico, que atrai um grande número de pessoas apenas pelo fato de ter sido palco da famosa batalha em que Napoleão Bonaparte foi derrotado pelos ingleses. Como Palmeira não tem atrativos naturais, o que chama a atenção na cidade é a Colônia", justifica ela. "A idéia é criar aqui uma alternativa de turismo sustentável, em que os empreendedores trabalhem de forma integrada e não competindo entre si".

Além do interesse turístico, a rota pode ajudar a retirar do anarquismo os estigmas que recaíram sobre ele durante séculos. Dos dicionários ao senso comum, além de significar um sistema político libertário, a palavra "anarquia" se refere a desordem e confusão. Justamente o oposto do que buscavam os pioneiros italianos que cruzaram o Atlântico para escapar da miséria em que viviam, sob o jugo dos patrões na cidade e no campo. O que aqueles colonos desejavam era exatamente a restauração de uma ordem, como expressam os versos da Canção da Colônia Cecília. Mesmo longe da complexidade dos escritos libertários do francês Pierre Joseph Proudhon, o primeiro pensador a se autodenominar anarquista, e do russo Mikhail Bakunin, que consolidou o anarquismo como teoria política após seu rompimento com Marx durante a Primeira Internacional, a música trazida pelos seis fundadores da Colônia reflete a essência dos princípios que os guiavam: "Seremos livres, seremos iguais. Nosso ideal triunfará".

Fonte: http://www.reporterbrasil.org.br

Nenhum comentário: